Menu:
18/out

Não sei bem o que dizer sobre este episódio de Heroes Reborn, pois, de novo, muito pouco foi entregue. Não sei necessariamente se isso é bom ou ruim, pois, se há algo que aprendi com Heroes é ser paciente. Então, para mim, a trama em si tem funcionado e espero que cumpra o seu propósito. Afinal, essa lentidão, que sofreu uma quebra bem grata com um pouco mais de ação esta semana, precisa render algo grandioso no finale. Principalmente porque os escritores têm segurado muito, até demais, sobre o que realmente se trata esse revival. Propósito? Destino? Vai saber…

 

O episódio investiu forte no Epic, a razão deste episódio ter saído do clima morno. Que mundo é esse? Imagina se um objeto desse vira moda? Como previsto, a nova tecnologia não passa de uma arma para dar início a um genocídio que culminará no reboot da humanidade. Como lidar?

 

Tenho que admitir que ri da cara do Dearing, ele merecia uns tapas por ser um traidor da própria espécie. Foi bem feito vê-lo ser capturado pelos tais amigos e juntar forças com Carlos tornará os dois mais interessantes. Quero acreditar, pois o novo El Vengador tem feito vários nada na trama.

 

De novo, nada do plot central foi revelado e continuamos dependentes da mente bloqueada de Noah. Quem fez questão de refrisar isso foi Erica, algo que me surpreendeu, insinuando que essa nova faceta dele só existe graças ao que foi apagado da sua memória. Algo sobre Claire. Algo sobre o dia do terrorismo. Algo, talvez, anterior a isso.

 

Antes do 13/06, Noah ainda estava envolvido com a Primatech, mas o quanto? Com a fusão com o Renautas, Erica quase firmou uma parceria com ele e só me resta amargurar sobre o verdadeiro caráter desse homem. Seria incrível, e dolorido, se o personagem virasse a casaca no final da treta.

 

Será que haverá redenção para ele sobre o que foi esquecido? Não sei, pois qualquer mudança em Noah acontecerá ao ter a resposta sobre o que aconteceu com Claire. Ok que a afirmação de Erica soou como um blefe, mas, pensando bem, essa mulher é muito convicta e não faria sentido mentir para o homem que fez o favor de encucar um pouco mais. Uma pena o Haitiano ter morrido tão cedo e espero que consigam arrematar essa ponta solta – que parece esquecida.

 

Posso pensar que Hiro ajudará? Ou será a chave desse bloqueio? Vale lembrar que houve um delay de tempo na gravação em que Bennet vê o corpo da filha. Não vejo a hora dos antigos heróis reaparecerem. Essa angústia em forma de saudade está me matando.

 

Falando nos heróis antigos, quase tive um infarto quando Erica falou que todos morreram no Summit. Não esperava que Kring fosse dar um tapa tão confortável com relação aos primeiros personagens. Ok que, considerando a promo, é possível pensar que essa mulher mentiu. Hiro está vivo e logo aparecerá. Agora, será que Niki estava com Micah? Angela Petrelli com os filhos?

 

Enquanto essa revelação não acontece, Tommy viu o mundo de ponta cabeça. De humano com poderes, ele passou a ser um completo EVO. Com direito a registro e a um chip. Assim como Malina, o personagem também tem um destino e a missão de salvar o mundo.

 

Está difícil montar como isso será possível, já que os poderes de Tommy e de Malina são completamente diferentes. Ansiosa para ver se rolará uma sincronia, pois esse personagem é o único que tem me agradado e quero acreditar que há potencial por detrás de tanta bondade.

 

Vale dizer que gostei da explicação do tal Protetor, os motivos de Tommy ser salvaguardado. Agora, resta saber quem é o pai e sabemos que quando essa pergunta vem à tona a resposta nunca é boa.

 

Miko fez muito mais neste episódio em comparação aos outros e rendeu a ação que faltava. Ri várias vezes dela com Ren – quando não rir? – e muito me intrigou o interesse de Erica por ela. Por causa do pai? Essa personagem tem o poder interligado à espada, não parece muito útil em batalha, um pensamento reforçado pela inutilidade do objeto entoado pela vilã da temporada.

 

Uma migalha que me encucou, pois a importância do pai, ainda não visto, tem sido arrastada desde a season premiere. Tem que ser uma conclusão muito boa também.

 

E continua…

 

O projeto de Erica é uma afronta! Com esse soco, só ficou o gosto da desesperança. Luke desistente, Malina abandonada, Tommy fugindo para não ser o herói. Quem os unirá?

 

Qual é o grande sacrifício para realizar um novo Big Bang? Erica está convicta do que quer, não hesitou em nenhum momento, nem diante da filha. Ela está focada no que almeja e nem é pelo poder. É por egoísmo e ganância de acreditar que sua traseira está comprometida, tendo em vista que a população de EVOs ultrapassou a humana. É pura síndrome de Deus mesmo.

 

A história fica mais inteligente quando Richard revela uma forma de teletransportar um objeto, algo que me pergunto de onde saiu já que Tommy não foi capturado. O pai dele?

 

Erica tem um plano de fuga para assistir a Terra tendo um reboot. Apesar de tanto ódio que sinto por essa mulher, acho que muito mais ao que sentia pelo Noah, ela é perfeita. A personagem sinaliza perigo sem dificuldade, não hesita e mente tão naturalmente que é fácil cair na dela.

 

Quero só ver como se dará esse reboot. O bom é que os próximos episódios prometem esclarecimentos mais efetivos. Já era tempo, pois passaremos da metade da única temporada.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3