Menu:
27/out

Tenho duas impressões sobre este episódio de The Vampire Diaries. Uma é totalmente imparcial e a outra vem do ponto de vista de Katherine Pierce.

 

Se eu ignorar a trajetória de Stefan com Katherine, admito que o que aconteceu na última semana foi muito mágico e me deixou completamente apaixonada. Quando o roteiro engata algum momento do passado Defan, meu coração fica feliz e a taxa de aprovação da minha parte é altíssima. Sempre é especial, ainda mais se tiver formato flashback, que envolve do começo ao fim, sem precisar de outros acontecimentos que poderiam comprometer o ritmo da trama.

 

Agora, se eu partir do ponto de vista de Katherine, pediria o cancelamento deste episódio. Ele provou que, mesmo com a saída de Nina, os escritores acreditam piamente que inventar romance é o que fará a série interessante. Não é e nunca foi. Nesse quesito, o flashback entre Stefan e Valerie foi tão desrespeitoso quanto o momento em que Elena se viu apaixonada por Damon. Duas inserções que desconstroem parte do que Defan viveu no passado.

 

Afinal, a trama de Williamson-Plec foi pontual sobre a influência da moça Pierce na vida deles. Não havia brecha para outra mulher a não ser Santa Gilbert.

 

Ok que as coisas mudaram com o tempo, mas nada confronta o fato de que Katherine Pierce foi a primeira de Stefan Salvatore. E nem fui eu que afirmei isso, mas 3 temporadas de TVD. Não há argumentos contra esse fato e só lamento por Valerie ter se tornado mais uma brecha para romance.

 

A diferença de agora é que Elena não existe mais na série e na vida do Stefan. Só há Caroline. Como seria surreal criar uma linhagem de cópias para Miss Forbes, a timeline que a fez ir de encontro ao Salvatore sofreu um “reboot”.

 

S1-S3: a primeira mulher que Stefan amou antes de Elena foi Katherine.

 

S5-S7: a primeira mulher que Stefan amou antes de Caroline foi Valerie.

 

Esse foi o paralelo que o flashback criou, usando as duas fases de TVD. A S4 nem incluo porque Stefan se despedia de Elena, período que Delena engatou.

 

Desligando a humanidade, fiquei um pouco temerosa com essa ideia de que Valerie pertenceria ao grupo de mulheres que abalou a vida de Stefan. Afinal, pensando nesse personagem, ele foi envolvido na mitologia das doppelgangers. Ficou claro na 5ª temporada que aquele rosto encontraria as feições de Elena Gilbert em vários momentos da vida. Daí, me metem uma Heretic que não tem nada de Nina Dobrev e fiquei com cara de tacho. Como assim?

 

Este episódio voltou a pontuar também um dos grandes vícios de TVD pós-Williamson: fazer todo mundo engolir X coisa e quebrar alguma storyline. Sobre Valerie e Stefan, deixo a critério de vocês, mas não negarei que achei falta de respeito a tentativa de pisar no que esse personagem construiu com Katherine. Claro que não foi efetivo. Fazer isso seria o mesmo que inventar uma mulher para Damon no mesmo arco de vida, sendo que ele praticamente viveu por dona Pierce.

 

O que me alivia um pouco é que Valerie entrou na vida de Stefan na fase humana, mas, mesmo assim, não justifica. Foi uma clara forçada porque não há mais história para a série contar. Com o retrocesso, ficou claro que a personagem só está na trama para fragilizar Caroline.

 

Confesso que a história de amor entre Stefan e Valerie ficou bonita de assistir. Gosto muito de ares de inocência e, nesse caso, funcionou porque exploraram um trecho da vida humana desse Salvatore. Um viés não explorado em TVD e que de certa forma ficou interessante. As taxas desse recontar dar errado eram mínimas, especialmente por visar um tipo de aceitação com relação à Valerie, pois há boatos de um novo triângulo. Era preciso torná-la humanamente agradável para “perdoar” sua versão herege.

 

O flashback ficou lindo e bateu uma forte nostalgia da era de ouro de TVD, quando as histórias do passado funcionavam mesmo quando não havia algo de interessante para desenvolver – como aconteceu neste episódio. Parecia um romance de Jane Austen, com exceção de que o problema não era casamento planejado.

 

Ver Stefan humano mexeu com meus feelings, todo emo-gótico. Ele me tirou da órbita, não pelo envolvimento com Valerie, mas por toda carência afetiva. Um ponto que reforçou o quanto esse é o Salvatore que se envolve mais rápido enquanto Damon bloqueia mesmo gostando desesperadamente de alguém. Um se entrega enquanto o outro se boicota, tudo por culpa do falecimento mentiroso de Lily.

 

O que doeu mesmo foi o rótulo de Valerie ser o primeiro amor de Stefan só pelo fato dele estar na fase humana, ter perdido a virgindade com ela e quase ter se tornado pai. Foi mais surreal que interessante, pois deram possibilidades humanas justamente a esse personagem que um dia projetou sua vida com Elena e que, de novo, não teve o que um dia almejou – e nunca terá.

 

Dar a Heretic essa posição acima dos dois amores anteriores desse Salvatore foi destoante. Ela nunca foi mencionada e daí entramos na forçada de nos fazer engolir uma criação de última hora. Contra uma história aprofundada não há argumentos, principalmente quando foi uma das razões de TVD existir.

 

Como disse, a estratégia desse flashback foi criar atrito emocional em Caroline. Quando ela fica frente a frente com Valerie, vi a repetição da fórmula que marcou o encontro entre Elena e Katherine. Uma jogada repeteco que tinha como intuito inferiorizar uma e fortalecer a outra. Candice e Elizabeth têm traços faciais muito parecidos, o que criou um estalo na minha mente sobre os momentos em que moça Pierce narrou sua história para a Santa Gilbert e arrematou ao dizer que sempre foi e sempre será o grande amor de Stefan. Fiquei muito frustrada, de verdade.

 

Novamente, Stefan se viu na saia justa de ter que perdoar um antigo amor para viver bem com o amor atual. O tenso é que, por ter conhecido Valerie como humano, há muito background que afetará Caroline em vários momentos. Isso, no quesito autoestima. Forbes nunca dará filhos ao novo crush – e há possibilidade, já que Candice está grávida e não tem como tirá-la da série –, nem muito menos será recordada por ter sido a primeira de um cara.

 

Não estou sendo dura com a personagem, mas a maneira como a Heretic a tratou, a minimizando, me fez resgatar toda a trajetória da vampira na série. Caroline sempre competiu com Elena e achei sem noção ela meio que cobrar se Stefan recordava da primeira vez que a viu. Afinal, naquela época, o foco era Stelena contra Delena, não Stelena contra Steroline.

 

Atrelado a isso, Caroline sempre teve sua autoestima afetada por Elena, o que a fez se jogar nos braços de Damon para mostrar que também é desejada. Já dizia menino Charlie de As Vantagens de ser Invisível: aceitamos o amor que achamos que merecemos. Trocando amor por tratamento, Forbes não tem o que exigir. Por ser insegura, mesmo sem a sombra da BFF, aposto que Valerie a afetará muito mais em comparação ao que Katherine trouxe de bagagem para cima de Santa Gilbert. Já estou exausta.

 

O romance entre Valerie e Stefan foi facilmente ofuscado por um cara chamado Julian (mais um Julian na série, socorro criatividade). Esse cidadão já pode morrer sem precisar chegar à Mystic Falls. Sério, não aguento cara metendo a mão em mulher na televisão (e na vida real). Isso me deixa enfurecida. Quando ele golpeia Valerie na barriga, queria invadir para dar um jeito nesse cara. Como assim?

 

Por mais que já o tenha odiado, parece que esse Julian promete uma dramática tragável. Não dá para contar com a pedra Fênix e amém que esse homem intrigou. O cara é opressor e abusivo, o que salientou a carência das mulheres Heretics. No caso, Valerie que foi destruída e proibida de amar e de ter o filho, o que fomentou o desejo de vingança que estou enlouquecida para ver na prática. Não quero que essa personagem fique de mimimi para cima do Stefan.

 

Na outra via, há Lily, a mãe apaixonada e ludibriada por um homem que maltratava uma de suas filhas. Julian era o que faltava neste início de temporada, uma presença forte que amolecerá o convívio dos Heretics. A lealdade tem tudo para ser testada.

 

Não só isso, mas ele pode ser o vilão da temporada. Ao menos, da primeira parte. Depender de uma treta entre Damon e os Heretics, Lily irritada e Stefan sendo o agente da paz, é impossível. Faltava sim um conflito palpável, temeroso, que tirasse todo mundo do sério, e esse Julian parece um aborrecimento que nem precisa de tanto para causar. O modo de falar, bem como o tratamento para cima de Valerie, me lembrou de Kai contra Bonnie.

 

Vale até dizer que o retrocesso, entrelaçado ao comportamento posterior de Valerie, deixou escancarado que os Heretics não são unidos. Pode haver um Finn para cada família, mas quando se tem um Klaus, um Elijah, um Kol e uma Rebekah, alianças são facilmente quebradas. Essa moça parece ter muito do Klaus, pois foi maltratada e privada, ao ponto de querer se matar. Isso a tornou ainda mais interessante, porque há desejo de retaliação, possivelmente o que a moverá por ter tido seus sonhos destruídos.

 

A maneira como Valerie arrancou o coração de Oscar, sem hesitar, silenciando o retorno de Julian, mostrou a frieza e o foco dela em não ser atormentada de novo. Ela não se preocupa com qualquer aliança na família e só mantém o bom comportamento quando não há chance de ser prejudicada. Penso que todos agem assim. Essa Heretic é egoísta e só Merlin sabe como Lily reagirá caso reencontre o marido, tão podre quanto Giuseppe. Essa mama Salvatore só ama cara maldito, socorro!

 

Penso que, uma vez que os outros souberem do que Julian fez com Valerie, virarão as costas para Lily. A mama será facilmente vista como culpada por não ter notado algo de errado, o que pode mudar toda a rotina dos Heretics.

 

Fato é que, uma vez inserido, Julian tirará todo o glamour de Lily, o que é um ponto negativo. Ela não terá força o bastante para interrompê-lo, o que me faz pensar no auxílio futuro dos Salvatore. Essa senhora perderá a pose de dona de Mystic Falls também, pois voltará para os braços do mozão que recordou com nostalgia, para confusão de Stefan. Sem contar que, desde a S4, esses escritores amam rebaixar personagem feminina por um cara. Bitch please!

 

O flashback também foi importantíssimo para mostrar que tipo de mãe Lily ainda foi antes de se desligar completamente dos Salvatore. Inclusive, para mostrar a fraqueza no caráter dos Heretics. Mama Salvatore confia muito nos filhos fake e é cega quando um homem entra em cena. Como defendê-la?

 

Lily mostrou no presente a que filho seu coração ainda pertence: Stefan. Valerie foi destinada a cuidar dele enquanto Oscar de Damon. Duas escolhas que mostraram muito bem como ela se sente com relação a cada um deles. Por um momento, pensei que mandar uma mulher para o filho mais novo foi sacanagem, mas, considerando o lado bom, talvez essa senhora só queria que seu xodó fosse agraciado com uma boa conversa. Ela só não contava que o encontro rendesse. Será que rolará um surto?

 

Já com relação ao Damon, o desprezo é intrínseco ao seu ser. Ao contrário da semana passada, que achei demais vê-lo convidado a sair da cidade, fiquei meio perturbada com a falta de consideração com o filho mais velho. Sim, foi muito delícia saber dos brinquedos roubados, pois esse Salvatore é irremediável, mas mandar um Heretic tão escroto sinalizou o descaso do qual o vampiro foi tratado ao longo da vida.

 

Há quem diga que uma mãe descarrega mais energia em certos filhos por se relacionar melhor com eles, mas Lily deixou claro que Stefan sempre estará acima de Damon. Ok que “mandar Valerie” ainda soa pessimamente na minha cabeça, mas, em comparação ao Heretic encaminhado para o Salvatore mais velho, só ficou claro aonde mora o amor dessa senhora.

 

Bem que podiam explorar esse repúdio esclarecido dela por Damon. Está aí um viés que precisa de muitos detalhes, melhor que inventar romance aleatório.

 

Penso que o amor enrustido por Stefan pode até salvar Lily em algum momento, pois esse feeling estava em cada olhadela para o filho mais novo. As aulas de volante serviram para assentar uma relação que pode se fortalecer caso Julian dê as caras. Tomara!

 

Flash-Forward

 

De novo, aquela sensação de que o fim de TVD está próximo. Quando inserem ator que já se foi, é porque aí tem. Confesso que tomei um susto ao ver Tyler, todo bem-sucedido, sendo que ele foi um babaca a vida inteira. Bem, considerando que ninguém em Mystic Falls compareceu ao ensino médio e geral se formou magicamente, ver todos ricos e felizes parece fim de Twilight.

 

Enfim, gostei de rever menino Tyler e estou curiosa para saber qual é o envolvimento dele nessa bagunça tão urgente. Seria ele o noivo da Caroline?

 

Posso dizer que estou com a sensação de que a tal caçadora é a Elena? Cara, Nina não fechou as portas caso seu retorno fosse necessário. Vai que fizeram uma mandinga? Não sei se isso seria o suficiente para alarmar Stefan, que fugiu com uma mala que continha passaporte e dinheiro. Vampiros não precisam dessas coisas, eu hein…

 

Os outros plots

 

Nem posso chamar de plot porque Bonnie, Damon e Ric estão iguais a vários nada. Digam-me, o que a rainha da bruxaria está fazendo entre esses dois flopados?

 

Bonnie pagou de otária o episódio inteiro e não acredito que ela simplesmente deixou Ric com aquela pedra maldita. Ela sabe que esse negócio não presta e deixará a zona rolar? Considerando tudo que a série mostrou sobre vida e morte, vê-la apoiando o teacher não fez o menor sentido.

 

Mantê-la entre Damon e Ric não está rendendo. Ela fica passiva, age só para salvá-los e é zombada. Sinceramente, esperava muito mais dela nesse começo de temporada, considerando o show na S6. Podem encaminhá-la gentilmente para o mundo do Stefan, porque, até então, essa mistura da dona da série entre dois caras supérfluos está intragável.

 

Concluindo

 

O episódio poderia contar com 40 minutos de flashback. Mesmo sem tragédia, essa dose de romance, até que bem construído, foi lindinho. Gosto de aproximações naturais, sem a obrigação de ter que estar com fulana ou fulano imediatamente. Tenho que dizer que tanto a história de Stefan com Valerie, e a conclusão com Caroline, lacrou tudo com bom gosto.

 

Agora, se eu pensar na Katherine, o episódio foi uma afronta. Não dá para ignorar o peso dessa personagem na vida de Stefan. Ela sempre será o primeiro amor da vida dele e Elena o último (porque Klaus é o último da Caroline, plantei a treta! #foge).

 

A pedra Fênix é coisa dos Heretics e só para Oscar temê-la é sinal de que uma grande droga vem aí. Sério, cancelem esse papo de brincar com vida e morte, pelo amor de Deus.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • Anônimo

    Pois, eu adorei a história do primeiro amor (stefan e valerie), e não vou nem mentir que to quase torcendo para que fiquem juntos.

  • Rayanne

    Só de ver mencionado o nome da vambitch da série no início da review me deixou saudosa. Como você faz falta Kath!

    Plec e Dries gostam de destruir todo romance que a série possa ter. Acabaram com Stelena, Forwood, Klaroline, Steferine, Stebekah, Delena e por aí vai. Além de matar personagens, elas gostam de matar as lembranças destes casais (as boas) acreditando que assim possam inventar outras lembranças em outros. O problema é que soa forçado. Por mais que elas tentem apagar as 3 primeiras temporadas, nós jamais esqueceremos a era de ouro da série. Katherine foi a primeira mulher/amor da vida do Stefan e não há nada e ninguém que possa me convencer do contrário. É canon!!!

    Tyler? Espero que não fique muito tempo, pois torço pelo talento do Trevino.

    Bonnie deveria matar o Alaric, sem mais.

    Vai ver o fato da Lily não gostar muito do Damon seja porque ele não é filho legítimo dela com o Guiseppe. Do jeito que a Plec e a Dries são doentes, não duvido nada.

    Novo triângulo? Hell no!!! Quando você acha que as coisas não podem piorar…

    Com certeza, Katherine revirou os olhos quando a Valerie disse que era o primeiro amor do Stefan. Bitch please!

    "Posso dizer que estou com a sensação de que a tal caçadora é a Elena?" Ela mata os Salvatores e os sobrenaturais de MF, coloca fogo na cidade e vai embora viver uma nova vida. Series Finale perfeito!!!!

    • Ainda tento entender qual é a necessidade delas em se meter no que já é canon. Não faz o menor sentido e continuam repetindo os mesmos hábitos. Não consigo com essa da Valerie bancando de first love. Nossa, que chatice!

      Trevino fazendo pontinha em TVD está demais de péssimo, parem. hahahahaha

      Queria que Elena voltasse como caçadora. Pra mim, ela deveria ter seguido esse caminho, MAS alimentar triângulo era prioridade a desenvolver a protagonista, ok, ok

      Beijos, sua linda! <3