Menu:
24/nov

Estou jogada com este mid-season finale de Heroes Reborn. Muito bom ver a trama dando carinha ao que um dia Heroes representou, cruzando o percurso dos personagens e os inserindo no mesmo propósito. Fiquei contente com o retorno de Miko, uma personagem que aprendi a gostar aos pouquinhos, e é inegável o quanto ela tem mais peso na trama que os outros heróis. Só de pensar que faltam 3 episódios para a série terminar, isso sem contar com renovação, tenho calafrios.

 

O episódio assentou vários planos, tanto para os heróis quanto para os vilões. O jogo virou e o Renautas perdeu a sua vantagem nessa briga. Nada como contar com o reaparecimento de Otomo para reiniciar uma treta que conta agora com uma versão atualizada de Miko. O papel dela nessa bagunça foi mais uma vez necessário, o que rendeu um pouco de tensão no mid-season finale.

 

Uma tensão que aumentou ao conhecermos um pouco mais as duas propriedades da Erica e que aparentam ser essenciais: o Gateway e a Sunstone. Lugares que, claramente, servem para capturar e transferir EVOs para um futuro que só a chefia tem o roteiro. Rumo à reta final, há muito o que temer sobre essa mulher.Atrelada a essa sensação, o episódio plantou o peso na consciência de alguns personagens, como Quentin, o cara que acho que acabará ajudando Noah no fim de tudo. Precisa, né?

 

O rapto de Tommy não deixou de ser preocupante e ainda não me conformo que Noah o deixou passar. Não há muito o que dizer sobre o filho de Claire, tanto no presente quanto no futuro, pois o personagem agiu dentro da sua ingenuidade adolescente. Só não consigo ver ainda como o poder dele funcionará com o de Malina. Só se for a base da captura e da transferência também, já que Erica deixou claro que o H.E.L.E acontecerá de qualquer maneira e que não há mais como impedir. Será?

 

Erica roubou a cena, a rainha da manipulação. Na companhia de Tommy, a chefe do Renautas voltou a me deixar inconformada. É inacreditável a forma como a personagem consegue infiltrar tranquilamente suas ideias na mente das outras pessoas. Tudo por causa da sua paixão. Da crença no projeto. É isso o que a faz tão convincente. Tão firme no que acredita. Fico bege com sua tranquilidade em mentir.

 

Uma crença que ganhou um pouco mais de claridade. Então que esse Gateway transporta EVOs. Para quê? Miko nos mostrou um recorte do futuro muito semelhante ao que já vimos no presente. Evoluídos sendo usados, obviamente para o mal. Fiquei até passada ao ver que a katana girl existe em carne e osso.

 

Quem me deixou esparramada foi o Luke. Ele busca redenção enquanto sua mulher está por aí, se preparando para atacar EVOs como profissão. Só de pensar em Joanne fico apavorada, socorro! Isso porque ela nem deu as caras neste episódio, mas posso presumir que a personagem será crucial na reta final. Achei linda a maneira como ele desabafou sobre seu lifestyle anterior, que realmente estava pronto para ajudar Malina, e foi uó o comportamento de Noah.

 

Isso considerando o flop em proteger Tommy. Porém, Noah sempre foi centralizador no quesito proteção. Claire que o diga, né? O importante é que Malina e Luke permanecerão como dupla e isso fez meu coração feliz.

 

Agora, vamos conversar seriamente sobre Parkman. Ele só tem agido assim porque garantiu o ingresso para o futuro? Não consigo separar o que esse personagem representou no passado para o que se tornou no presente. Não sei medir o que foi pior na sua nova aparição, o tratamento com Farah ou com Micah – que não é nenhum estranho, apenas filho de Niki Sanders. Tem sido bem chocante acompanhar essa mudança de caráter e nem consigo cogitar um momento que o fará retroceder.

 

Torci para que o nome dele não estivesse na lista, mas acho que a traição de Erica cara a cara fará mais jus ao que o ex-policial tem provocado. Quero mesmo vê-lo perder tudo. Muito imperdoável o que tem feito, independente do motivo.

 

E fiquei horrorizada com Micah agindo por comando de voz. Nem sei o que dizer…

 

O episódio salientou que chegamos a um ponto em que umas alianças começaram a tremer e outras foram fortalecidas. Atitude essencial para rumarmos para o fim desse volume. Ao contrário do episódio anterior, que chutou para todos os lados, esse foi mais condensado por ter focado no que realmente interessava. Finalmente, o verdadeiro caos foi instalado e a retirada de Tommy da asa de Erica foi o estopim. A cara dela de tacho foi sensacional.

 

Para ficar ainda mais inquieta, Taylor e Cia.. estão na Sunstone, cercados por vários clones do Harris. Quantas mortes ainda terão que acontecer em Reborn?

 

O mid-season finale rendeu uma bela de uma reviravolta em comparação ao que aconteceu na semana passada. O Renautas sentiu o gosto da vitória por tempo suficiente para Miko salvar o novo mestre do tempo e do espaço. Quero ver agora como funcionará a missão do atrapalhado Ren. Será no mínimo engraçado.

 

E aonde foi parar Noah, hein? Foi Tommy quem o retirou de lá?

 

Heroes Reborn retorna no dia 7 de janeiro.
Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3