Menu:
15/nov

O pouso para o presente foi impactante e ao mesmo tempo confuso. O episódio veio carregado de reviravoltas, todas muito simples e banais considerando de que é dessa mitologia heroica a que me refiro. Os EVOs atuais são fracos e não talharam trabalho em equipe, dois itens que ficaram mais esclarecidos no que aconteceu esta semana. Salvo Tommy e Malina que possuem um objetivo, os demais estão dispersos e não sinalizam que surgirão na briga contra o Renautas. Há uma maioria de humanos/evoluídos do mal que do bem, ao ponto de até Noah ser uma decepção.

 

É muito claro que a insegurança de uma renovação, que fechou 13 episódios, influenciou no desenvolvimento desse revival. Isso afetou as histórias e a falta de complexidade dos personagens. Não está ruim, claro, tenho curtido à beça, mas está tudo muito raso. Nem posso reclamar com mais propriedade porque a temporada está quase no fim e não há mais o que exigir, só deixar rolar.

 

Após o retorno ao 13 de junho, senti que os evoluídos antigos, e até os atuais, nunca ouviram falar de Sylar, um terror que foi muito longe para ter os poderes que queria. Não está havendo uma inquietação geral, pois ninguém rebate Erica que é a rainha da manipulação. Para o contexto da trama, se percebe que essa “ingenuidade” tem mais atrapalhado que ajudado, pois a maioria está alheia ao que acontece.

 

O saldo da semana é básico: os vilões estão na frente. Algo que sempre acontece para gerar tensão, investida bem-sucedida. Nada como alimentar a desesperança para, mais tarde, os EVOs mudarem o jogo. Ao menos, é o que se espera, pois a visão do futuro trazida por Miko, há mais de 7 mil anos, não foi nem um pouco animadora. O monólogo de Suresh situou a principal problemática, o tempo, mas isso passou despercebido quando Noah voltou ao presente e caiu na de Quentin. Sério, não quis acreditar. Bennet já foi mais perspicaz na hora de farejar o que não presta.

 

O fragmento do passado que Noah alterou o fará colher as consequências. Por culpa dele, os heróis estão em desvantagem. Erica abocanhou um dos gêmeos e já nem consigo confiar em Bennet que ficou na companhia de Malina. Por um momento, desejei que ele atirasse em Phoebe, pois o poder morreria com a dona e Tommy seria hábil em se teletransportar. Mas…

 

A moleza de Bennet não estava aparente até agora e senti uma gota de saudade daquele homem impiedoso. É o neto dele que foi carregado e o personagem abraçou uma esperança que, até então, claramente não existe. No que diabos Noah estava pensando em deixar Tommy ir sem lutar? Nossa, fiquei frustrada e só de pensar na lavagem cerebral que Erica fará com o adolescente passo mal. Uma pessoa que parece mais implacável em comparação ao começo da temporada.

 

Quem também se mostrou implacável foi Parkman que resolveu lançar o shade em sua própria espécie. Foi hipocrisia vê-lo indagar Dearing sobre se voltar contra as pessoas do mesmo time, como se fosse um santo. Esse personagem me deixou sem chão ao tratar James e depois Carlos – que teve seu tal segredo abordado, sendo que nem precisava – pela sua influência. Fiquei horrorizada!

 

Fato é que o antigo herói provou que se vendeu por status e por segurança, e nem acredito que aquele lugar é uma das propriedades de Erica. E que ele chefia. Sério, não estou conseguindo lidar com essa mulher. Bem que podiam explicar os motivos dela ser tão assim, fria, ácida, calculista e irredutível. Claramente há um background traumático que precisa ser revelado.

 

Trauma que ainda aflige Joanne que tornou meus pesadelos realidade. Ela foi recrutada logo pelo inimigo, outra coisa que achei sem fundamento. Afinal, Tommy foi capturado e seria mais interessante se a personagem encontrasse redenção. Visse que o que faz é cruel e nada justo.

 

Sem Tommy e com Joanne recrutada, quem ganhou espaço foi o Haitiano e Taylor. Sem um dos salvadores, é preciso buscar o líder, e estou ansiosa para rever Micah. Em Dark Matters, só o vemos em segundos, talhando uma revolução dos EVOs contra o sistema. Queria saber o que aconteceu com Niki.Pelo visto, a filha de Erica será a chave da resolução, mas não sinto firmeza nessa personagem. Pior é que só há ela disponível para fazer alguma coisa e acredito que menino Sanders será o responsável em desencadear reviravoltas que botarão o Renautas no chinelo. Desdobramentos rumo à vitória.

 

No geral, foi um episódio muito bom, corrido e carregado de ação. Por enquanto, morro de ódio dessa trama que me deixou bem mal por ver o quanto os EVOs atuais não são nada como os antigos na prática. Maldito seja esse curto espaço de tempo, sério. Sem Tommy, a história sentirá muito com a falta de heróis com poderes bacanas. Parece que a winter finale promete e muito.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3