Menu:
14/nov

Estou sem palavras com relação a este episódio. Demorou um bocado, mas lá fomos nós ser presenteados com vários saltos carpados na trama. Ou melhor, na face! De novo, sentimos na pele aquela sensação de que nada é o que parece baseado em um roteiro que instigava ao mesmo tempo que brincava com as mais variadas emoções e com nosso raciocínio. Chego aqui com a agitação brigando com o alívio (Oliver está bem e a salvo), mas o que dizer dos demais?

 

Cada cena foi carregada com sorrisos de Annalise, mas nada apaga o fato de que há muito o que se temer daqui pra frente. Felizmente (ou não), estamos perto da justificativa que rendeu o tiro contra a advogada.

 

O roteiro foi esperto em prolongar a noite de terror, estrelando Annalise, após a treta épica com Bonnie. Manteve a inquietude no ar. Amei os paralelos diante do espelho, o que bateu saudosismo daquela lá que merece ainda muitos prêmios. O formidável nessas contemplações da advogada foi a maneira como ela consegue fingir tão perfeitamente que tudo está bem. Ao mandar a selfie para a mamãe, pensei que a personagem desmoronaria logo em seguida por causa do ocorrido anteriormente, mas o episódio fez o favor de mostrar que o grande problema dela é Nate.

 

Como venho dizendo, se esse cara traí-la, doerá like hell.

 

Annalise estava bem fragilizada neste episódio e penso que esse posicionamento será carregado para o winter finale. A personagem não só estava nervosa como assustada, mas, como é de se esperar, ela não se deixou abater e mostrou quem ainda manda em tudo. Quem é que resolve tudo.

 

A quantidade de vezes que essa mulher sorriu esta semana foi apavorante, simplesmente porque sabemos que ela tomará um tiro. Por causa disso, tive de novo a impressão de que a ideia é nos compadecermos. Principalmente ao notarmos que Keating se comportou com excelência esta semana. Apenas focada em derrubar Sinclair – e venceu, o que merecia outra baladinha.

 

Considerando que semana que vem teremos a grande resposta do flash-forward, nada como deixar Annalise ser vista apenas da perspectiva dos estagiários e até de Frank. Laurel foi a sortuda – se é que podemos chamá-la assim já que esse universo não beneficia ninguém – ao conquistar o braço direito de Keating. Detalhe que a posiciona como um dos pontos influentes do que acontecerá no futuro. Afinal, essa personagem tem autoridade e aprendeu a ser baixa, vide o momento em que preferiu deixar Oliver à mercê da sorte a atrair Sinclair. Aprendeu direitinho.

 

Tudo bem que ainda falta encaixar Bonnie nessa bagunça, mas, até então, é possível imaginar que Laurel sairá na frente por causa dessa confiança que tem conquistado desde a semana passada. Uma confiança que a botaria como ajudante da pessoa que substituiu no futuro, especialmente por ter agora um motivo para endurecer com Keating (e que ainda é bem fraco): ter ouvido Frank dizer que a sua chefe não os apoia em nenhum momento e que ela pode se meter na vida de ambos.

 

Um detalhe que afetou Frank em vários âmbitos. Não me lembro de tê-lo visto tão humilhado. O momento em que foi enxotado na frente de Laurel rendeu um beliscão no ego. Alguém tinha que pagar o pato e fiquei bege (ele sempre me deixa bege) com a forma que o personagem virou o jogo para se provar. Não que seja uma surpresa ele dar um jeito para beneficiar Annalise, mas destaco a sua ira por ter sido consternado. Está aqui um homem cuja virilidade não pode ser discutida. Ele é daquele tipo que não pode ouvir “duvido” que toma partido para mostrar justamente o contrário.

 

Por outro lado, penso também que Keating sabe muito bem como Frank funciona, o que justificaria as cutucadinhas para agilizar uma solução sobre o caso Hapstall. A violência dele necessita de um flashback para ser explicado, sério. O cara é muito sangue frio, não mensura nada, simplesmente se joga. Por isso que Oliver cedeu rapidinho aos seus encantos, pois, por detrás de toda a finesse, aquela barba maravilhosa esconde perigo – e é atraente demais, vamos combinar.

 

Falando no caso Hapstall, essa menina Catherine me tirou do sério e espero que haja um grande motivo para que esteja combinada com Philip. Ela foi irritante, mas provou a tese que Frank declarou lá no começo desta temporada: os quietos são os piores. Realmente não esperava que um dos dois se revelasse culpado. Claro que isso não é uma afirmação 100%, pois o DNA do filho gerado de um incesto caiu como uma luva. Veio muito fácil. Como alguém iria para a delegacia a fim de denunciar uma pessoa que invadiu sua privacidade, ciente de que cometeu homicídio?

 

Ok que a atitude também pode soar como uma maneira de tirá-la do caso, algo que Sinclair amaria e que seria muito conveniente a essa altura do campeonato. Especialmente para Catherine. Mas há algo muito errado nessa iniciativa. Quero só ver o que Nate aprontou para Philip.

 

O que dizer sobre Catherine? Não muito, mas a ideia dos quadros foi incrível. Poderia ser a assinatura dela se fosse realmente a assassina, mas só foi presentinho de bom grado. Uma pena. O desconforto que fica é que está meio claro que ela não é perigosa e que deve ter sido manipulada o tempo todo por Philip. Não podemos tirar nada concreto de Murder, ainda mais quando uma pessoa já estava com um plano feito, coordenou o espetáculo e fez Annalise cair que nem um patinho.

 

O episódio ainda foi mais além ao estreitar o conhecimento dos personagens sobre o caso Hapstall. Achei demais Nate ser incluso, tendo um motivo respaldado, que pode gerar qualquer outro comportamento assim que souber do ataque na mansão. Afinal, ele pegou os estagiários no colo e os afastou da cena do crime. É importante o que deram a ele esta semana, pois também foi um cartão verde para atuar no universo Keating com direito a seguir as regras da falcatrua.

 

Tudo por Sinclair? Não sei não. Por mais que acredite que ele goste de Annalise, de um jeito confuso e extremamente complexo, um homem é capaz de tudo para se vingar de uma mulher, principalmente se ela o derrubou. Só sei que essa fragilidade de Nate é outra luva bem encaixada, pois é muito fácil se ludibriar. Até a advogada cedeu, toda nervosinha diante do outro crush.

 

Além de tudo isso, o episódio também pontuou o início da queda de Sinclair. A advogada estava tão desesperada para vencer que não conseguiu jogar como Annalise. Fez tudo errado! É possível que a personagem não abandone o caso, pois lá no fundo do meu peito penso que ela irá pra mansão a fim de informar a sua rival alguma coisa que não pode sair daquelas paredes. Só assim para reforçar a morte dela e o tombo seguido de Keating.

 

Pensando que Philip é culpado, capaz que silencie ambas por saberem demais, o que também respaldaria o fato de Caleb estar escondido com Michaela. Alguma testemunha tem que sobreviver.

 

Não sei vocês, mas não me foge a ideia de que tudo não passa de um plano maior para limpar mais uma sujeira de Annalise. Vale lembrar que Frank carregou Catherine para o meio da floresta e é capaz que ela tome a culpa por todos os corpos na mansão. As duas advogadas soam mais como álibis. Bonnie pode estar chateada, mas sinto que ainda faria de tudo pela sua mentora. O mesmo os estagiários que juram que a odeiam, mas sabem que são tão podres quanto ela.

 

Para um pré-finale, este episódio aqueceu as turbinas direitinho. A única coisa que reclamo mais uma vez é do flash-forward. Ficou muito fora de tom, mas deixou novas coisas a se pensar sobre Bonnie. A personagem indicou azedume, agiu like a boss para cima de Connor (que levantou uma sobrancelha por ter sido o suposto idealizador daquela visitinha) e só consegui ver Annalise nela.

 

E há o drama do revólver que pode ser o encontrado na mansão ou ser de Levi. Acredito que Catherine e Philip retornarão para o local do crime.

 

O cenário deixado no final deste episódio pode não dar continuidade como aconteceu esta semana, mas acredito que o winter finale será pauleira. Suspeitos?

 

Adendo final: nada como presentear essa turma com orgasmos em sequência, pois a vida não será tão maravilhosa daqui por diante. Justo dar-lhes o direito de celebrar uma vitória que claramente Sinclair não deixará passar batida. Nem Philip.

 

PS: o receba da Annalise na cara de Nate, praticamente tô triste mas aqui não tem sexo, me fez berrar! Essa mulher um dia me matará!

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3