Menu:
07/nov

Penso que este foi o episódio mais fraco de todos até aqui. Talvez, uma pausa para respirar, pois os próximos serão decisórios e há a promessa da revelação de quem atirará em Annalise. As coisas só esquentaram mesmo nos últimos minutos, mas nada impediu que a trama da vez fosse eficiente no quesito quebrar mais pessoas de maneira que deem voz ao ódio enrustido pela advogada. Só soco emocional esta semana e muito o que temer pela frente.

 

Annalise continua com a sua caracterização ambígua. Em vez da destemida que só pensa em ganhar, esta semana a versão compassiva da advogada ganhou destaque. Aquela que ri à toa quando está na companhia de Eve. Muito esperto marcar o retorno da crush em um momento tão crucial da temporada. Inclusive, marcar mais uma vitória de Nate com certa autoria de Keating, rendendo mais um 7×01 para Sinclair. Parece que a trama quer nos deixar fracos para nos compadecermos quando chegar a hora do tiro. Afinal, ela não é tão ruim assim, né?

 

A dualidade de Annalise é o que a condenará e Wes está de olho nisso. O personagem se fechou de vez e paquerou muito o tal revólver do flash-forward. Se ele for utilizado para dar cabo na advogada, penso que o puppy sairá imune por não ser o dono. Duvido muito que o objeto esteja no nome de Levi também, pois a pouca participação desse cidadão mostrou do que ele é capaz – e que tem um temperamento que poderia explodir o escritório da advogada.

 

Duvido muito também que Wes tenha puxado o gatilho, a não ser que ele confirme minha teoria de que é um assassino nato. Ele poderia ter matado a mãe. Ele matou Sam. Que custaria matar Annalise? Pelo óbvio, esse personagem era para ser o mais mudinho do quinteto por ter mais culpa no cartório que todos juntos. Keating ainda tem o troféu e não creio que ela tenha simplesmente deixado suas digitais nele – se há o carro do Connor, há esse objeto para incriminar o protegido. Essa mulher só se faz de burra e pegará todos pelo rabo de novo, fatos reais.

 

Annalise não é uma mulher que se brinca, vide o recado nada fino lançado na face de Sinclair. Seja lá qual é o plano, a queda da protagonista pode garantir um grito de vitória temporário, pois ela voltará dos mortos e dará o troco em todos.

 

Até chegar esse momento, Connor e Laurel também foram testados ao longo deste episódio. Por meio deles, deu para entender mais ou menos a separação do grupo apresentada no flash-forward desta semana. Laurel foi prestigiada por jogar sujo no caso Dale e ganhou o título de mais forte da panela, a mãe que cuida e que tem facilidade em dobrar os “filhos”.

 

Ter Wes ao lado dela, uma pessoa que já não pensa duas vezes em sabotar Annalise, faz completo sentido. A personagem gosta de justiça, mas penso que Laurel se revelou a mais inclinada em topar sabotagens para se proteger. Ela combina com o puppy, e foi uma grande revelação da temporada passada por ser julgada de tonta. A menina que não tem malícia.

 

Do outro lado, Connor terá Michaela, outra que mudou bastante da última temporada pra cá. Acho que ela mudou mais que todos depois dos últimos acontecimentos. Essa personagem tem segurado a barra dele, e vice-versa, desde o início da S2 e a aproximação de ambos não passou despercebida. Essa moça tem tudo para controlar o emocional do parceiro quando a casa cair, o processo contrário já que foi ele quem lhe deu os berros na S1.

 

Wes é o que faz. Laurel quem ameniza e conta a lorota para dobrar o resto. Tenso é quando dois querem pular fora. No caso, Connor e Michaela. Mesmo separados, sabemos que todos terminam no carro de Nate, mas é interessante ver as afinidades definidas. Só não para Asher.

 

As coisas ficaram realmente tensas quando Oliver se juntou ao universo Keating. O que a ingenuidade faz com as pessoas, né? Foi muito pertinente (e um pouquinho chato se pensarmos no quesito humilhação na frente dos amigos), Connor cutucar a baixa autoestima do namorado. Porém, fez justiça.

 

Desde que foi inserido em Murder, esse personagem nunca escondeu a fraca autoconfiança, que não melhorou ao pegar um cara bonitão. Um cara que, na sua mente, jamais lhe daria bola ao ponto de acreditar que o deixava envergonhado.

 

O namoro Coliver tem o termo aceitação, não por serem gays, mas por ambos terem níveis diferentes de insegurança. Oliver precisou se convencer de que era o bastante para ficar com Connor – o que falhou várias vezes – e Connor teve que reconhecer seus sentimentos, que sempre contornou, por ser um pegador irresponsável. Um namoro carregado de autodúvida.

 

Ver Oliver no escritório, contando com a empolgação de Frank, me deixou tão desesperada quanto Connor. Porque ele quer ser útil. Ele ainda quer se provar e quer fazer parte do universo que um dia seu namorado o barrou de pertencer. Ele quer mostrar que pode ser muito mais do que lhe é estipulado em um quadrado de escritório. Ele quer fazer algo por si mesmo contando com o talento que tem e está óbvio que o personagem pagará muito caro por isso. Se sentir útil e parte do Keating 5 pode lhe custar a vida – e a promo já canta essa canção.

 

Asher também foi quebrado neste episódio. Continuo com a mesma opinião da semana passada: não consigo mais adorá-lo. Ok que a trama “declarou” a sua inocência, mas peguei um nojo que me embrulha o estômago. Sinceramente, até adoraria que ele saísse da série (a radical sinhê!). Nem as palhaçadas têm mais graça. Essa de não fazer nada com e pela Tiffany, de permitir que o pai encobrisse uma atrocidade por tantos anos e depois correr que nem um otário para manter a fachada são motivos mais do que suficientes para trocá-lo por um novo estagiário. Fim.

 

Esse sacana foi bom mesmo para tirar Bonnie do eixo. Nunca a aplaudi tanto quanto neste episódio. Só disse verdades e só pude menear positivamente com a cabeça. Maravilhosa e com um extremo potencial para ser durona e dona de si. Por que não investem nessa faceta?

 

Por causa dele, Bonnie parecia outra pessoa e não tenho nem o que criticar. Tudo que ela falou foi para glorificar de pé. De quebra, ainda se confirmou que a personagem foi realmente abusada pelo pai, só não esperava um tipo de confronto tão insano com Annalise. Sempre imaginei que havia uma linha de cumplicidade entre ambas. No caso, o fato de terem sido abusadas. Só assim para terem uma parceria tão duradoura e tão carregada de segredos.

 

Foi alucinante quando Annalise aumentou a voz e declarou que também era vítima, mas isso não foi o bastante para a outra personalidade de Bonnie vir à tona.

 

Surtei, muito, pois é bem chato vê-la o tempo todo choramingando pelos cantos e correndo atrás de aceitação. Falar mais alto que a advogada foi sensacional, pois ninguém se atreve… Ou quase! Connor quebrou essa amarra, Wes logo em seguida quase de mão dada com Nate, e agora a pessoa, que tenho certeza que Keating jamais imaginou que perderia, fez um escândalo. Amei e quero de novo!

 

Vale até dizer que essa treta fortaleceu Bonnie e Asher, o que dá respaldo ao flash-forward.

 

Isso me faz até pensar em Frank. Considerando que Annalise o pegou com Laurel, sinto que a quebra acontecerá nesse âmbito. Ou, no mais irritante, por causa de alguma interrupção, já que ficou aborrecido quando a advogada entrou em cena sobre Philip. Andei lendo por aí que Peter e companhia explicarão os motivos desse personagem ter matado Lila, então, é bom colocarmos um colete à prova de balas, pois os segredos desse cara devem ser mais tensos que os de Bonnie – que chegou ao ponto de berrar que queria a mentora mortinha da Silva.

 

Considerando que o flash-forward da temporada passada seguiu uma cronologia, dessa vez achei que ficou muito sem pé e nem cabeça. Entregaram todos que estavam em cena e depois retrocederam. Não teria sido melhor segurar alguns dos personagens envolvidos para tombar quem assiste? Não sei, mas confesso que não gostei desse pequeno rebobinar para dar foco no revólver e na queda de Sinclair.

 

Fiquei meio aborrecida também por entregarem quem poderia ter empurrado Sinclair. Honestamente, não me espantaria se Bonnie fosse a responsável, pois ela já provou do que é capaz. Resta saber o que diabos a outra advogada fez para ser lançada. Independente disso, não vejo a hora desse nó desatar.

 

Concluindo

 

Só quero fazer um adendo para os momentos entre Eve e Annalise. Que maravilhosas, meu Deus! Ver a advogada voltar toda sorridente para casa foi lindo e outro sinal de que ela não é tão ruim assim. Uma investida que volto a dizer: foi genial. Especialmente quando Eve saca que Wes foi quem matou Sam e entendeu aquele gesto como uma solidariedade da sua crush.

 

Sabe de nada, inocente!

 

Vale também outro adendo sobre o caso fraquíssimo desta semana: por essas e outras que nunca entenderei essa profissão. Especialmente quem faz a defesa. Não teria o estômago da Annalise, de verdade. Essa minha impressão pode até vir da certeza do quanto é mais fácil acusar que defender. Vejam como a Sinclair se porta toda vez que procura motivo para afrontar e sempre perde.

 

Agora, gente, o Oliver…. O Oliver. Tocando All By Myself.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • PRIMEIRAMENTE, PARE D SHIPPAR COLIVER. Vc é muita vira casaca. Pq vc disse q queria ser filha de Josh e Aiden, e agora mudou so por causa do queixo do Falahee. PARA!

    Vamos a essa maravilha de Murder. Sabe quandp tu vai na padaria, comprar um pão doce, mas nao resiste a uma coxinha? Isso msm, Asher é a minha coxinha. E sei q vc o odeia, pq o q ele fez é mto nojento. Não grite comigo!

    Imagina se o Peter, faz cosplay de Julie Plec e mata o Oliver? Odeio desde já!

    Outra coisa que me fascina é o texto maravilhosamente bem escrito. Forte. O embate entre analise e bonnie – loira claro,- foi FANTASTICO!
    Agora o que me irrita é esse odio massivo contra Miss Keating. ELES SÃO TAO BONZINHOS, NÉ?

    FRANK NAO PODER MORRAR SEM MANDAR NUDES!

    Tia Grey, fica tão linda com Keating!

    NATE MORRA

    E AQUELA TENSAO SEXUAL ENTRE FRANK E OLIVER? morrendoooooooooooooooooooooooooooooooo

    BJO!

    • VOCÊ PARE DE SER OZADO, EU SHIPPO TUDO MENOS DELENA! HAHAHAAHAHAHAHAH E EU TENHO DIREITOS DE ESCOLHER MINHA FAMÍLIA U.U HAHAHAHA Isso que chamo de LER DE VERDADE as resenhas, porque tenho certeza que a maioria lê e se distrai. LHE AMO!

      Mas daí não lhe amo mais porque você gosta do coxinha do Asher u.u Só perdoo, porque você tá assistindo Teen Wolf. lixa*

      TODOS SÃO UNS ANJENHOS, PSIU! HAHAHAHAHAHAH

      Sou a favor da campanha do Frank mandar nudes, QUE HOMEM!