Menu:
14/nov

Não estou acreditando que o spoiler referente a gravidez da Candice feat. que seria transferida para a Caroline feat. que carregaria os gêmeos do Ric se tornou realidade. Que mundo é esse, gente? Quando me mandaram essa bomba (culpa sua, Yan), quis crer que não passava de uma viagem na maionese de algum fã que viu nesse combo um meio de fazer com que atriz e personagem não fossem afetadas ao longo das gravações desta temporada de The Vampire Diaries.

 

Pois muito que bem, está aí a prova final de que a série virou piada. Pior, que não se respeita. Pior ainda, que quer que as pessoas restantes engulam essas baboseiras. CW, deixa eu te ajudar a cancelar isso.

 

Fico imaginando como deve ser o writer’s room de TVD. Acho que Plec alimenta a mente de Dries que joga as ideias na mesa e ninguém contesta. Não tem como ter sororidade com essas duas, porque parece que não entendem que grande-parte-do-público-da-série-é-de-garotas-que-acabam-por-fissurar-nessas-histórias-tóxicas-e-pessimamente-construídas. Não sou obrigada.

 

Como uma pessoa que escreve desde os 17 anos, de fanfics até posts neste respectivo blog, fico de cara ao notar que os roteiristas de TVD simplesmente deixam a incoerência rolar. Vejam bem, não é uma questão de “contexto sobrenatural, então, é plausível”, mas de ter seu nome envolvido em um trabalho que já perdeu os escrúpulos. É muito surreal de notável a falta de união entre todas as partes.

 

Até do cast. Não sei se ficam por status ou porque o salário é bom, mas penso que profissional que se preze não deixaria uma coisa dessas acontecer (ou ficar lá, né, Paul, aff você).

 

Doa a quem doer, não sou dessas que simplesmente aceita uma storyline porque é fantasia/sobrenatural/policial e afins, porque há algo que se chama sequência. Para ter sequência, você precisa de um motivo, destrinchá-lo e respaldá-lo. De maneira lógica, coerente e convincente. TVD está com a mania de explicar tudo pela boca dos personagens, em um estalar de dedos, nos poupando da aventura na mitologia. Isso só tem enfraquecido as histórias e essa gravidez é um grande exemplo, que só pipocou porque Candice será mamãe. Não podiam ser mais inteligentes?

 

Nem sei se deveria dizer “pelo menos não foi como Bella Swan” porque renderia uma série de argumentos que não estou a fim de gastar nesta resenha. O que interessa é vivemos para bebês serem entregues via mapa. Se a ideia era tornar isso meio bíblico, alguém chama Moisés para fechar o mar na equipe de TVD. Precisa, urgente.

 

Caroline grávida nada mais é que um medíocre insight para lacrar o noivado dela com Ric, como bem mostrou no flash-forward e, no presente, uni-la ao teacher para que o romance faça sentido 3 anos depois. De novo, uma personagem não sofre com coisa X porque faz parte da sua trajetória, mas para infiltrar amor em lugares que, outrora, nunca foram plantados. Ou para tapar buracos na trama. Ou para encontrar soluções práticas que já tornam TVD tudo menos complexo.

 

Ainda é cedo para defender Bonnie e Enzo, por exemplo, mas este episódio inseriu a faísca. Até então, nada disso os afeta quanto storyline. Pode ser bizarro ambos como casal, mas inventar bebê conseguiu o pódio das estranhices ultrapassando o sire bond. Nada pode ser natural nessa série e muitos de nós acreditou que as invenções malucas de Plec e Cia. parariam com a saída de Elena…

 

De quebra, a gravidez de Caroline ainda afetará Stefan, que estava com os ânimos à flor da pele ao saber que Julian está vivo e fez o que fez. Ele precisa disso? Claramente que não.

 

Vê-lo querer se vingar de Julian me deixou irritadinha. Agora, imaginem como a novidade de Caroline o tombará? Juraram tanto o amor Steroline para destruí-lo de uma forma pior que Stelena e Delena. Afinal, quando Stefan souber disso, muito provavelmente ficará na ruína. Vale lembrar que esse senhor disse que não ter um filho será o seu maior arrependimento. Como lidar?

 

A dor pode vir a ser fulminante quando Stefan souber que os bebês são do Ric. O incômodo pode não vir do sexo em si (que não teve, claro), mas porque ele não chegará perto da garota que gosta por não ser o pai e para não tirar a autoridade do teacher. Uma muralha que dá fim para Steroline. Não sei se grito, se choro, se faço roda de oração para a CW se tocar que TVD não agrega mais em nada…

 

Daí vem notinha dizendo que o casamento de Ric e Caroline no futuro está mal e que há chances para Steroline. O último futuro garantido que li terminou em Elena dormindo no caixão.

 

Os outros plots

 

Tudo bem que o bafo gravidez foi confirmado nos minutos finais, então, vale dizer que este episódio foi sobre Julian. Achei que ele teria mais graça, porém, o personagem se sobressaiu dentro do esperado: um babaca abusador que manipula a mulherada pela autoestima. Claro que é impossível gostar de um cara assim e enojei com as cenas dele com Lily. Não mais que a compartilhada com Mary. Não disse que seria preciso digerir e seguir em frente? É bem isso.

 

Achei também que Julian seria mais atraente, mas o impacto da presença dele entre as Heretics só me fez desejar sua morte imediatamente. Ele não aterroriza, não ainda, só faz pose. Seu perigo virá dos efeitos colaterais da pedra Fênix, que revelou um desequilibrado que sabe jogar com persuasão, fala baixa e muita elegância. Mais importante: brincando de “ser humano” frágil. Um pacote bonitinho para manipular aquelas que são completamente carentes e dependentes. E que o amam.

 

Agora: o que tem no carro do Oscar? Qual é a mandinga que o protegerá (a promo do 7×07 meio que denunciou)? O cara é sacana mesmo.

 

Tenho que lhes dizer que Lily me deixou com orgulhinho ao defender os Salvatore e afirmar que não os quer mortos. Daí, entramos na citação de Giuseppe, e só consigo pensar que a vampira, diante do ataque de Julian, reviveu os momentos dos filhos sofrendo nas mãos do falecido. O que aconteceu com Damon e Stefan não foi aleatório. Vi ali a lembrança de um passado que essa personagem despreza e a súbita proteção foi sua resposta imediata.

 

Lily quer apaziguar a convivência e surras gratuitas não estão inclusas. O posicionamento dela diante de Julian sinalizou que ainda há coerência em sua mente, o que é muito bom, pois é seu ponto forte e o que a impede de ser ludibriada com extrema facilidade.

 

Bom mesmo foram as cenas Defan e fazia muito tempo que não me divertia com Damon. Ele foi a melhor pessoa deste episódio e nunca esperei que fosse torcer para esse senhor. Era preciso sim interromper o plano impulsivo de Stefan. Era óbvio que daria errado, pois Julian mal tinha chegado.

 

O que me tranquiliza um pouco é que ao menos Defan parece intacto. É a única coisa boa até então, graças a ausência de Elena, claro. No período dela, ambos se tratavam na falsidade (mas não deixavam de render ótimas cenas). Agora, tudo parece no lugar e quero acreditar que essa parceria vai longe. Não aceito a sensação de que Damon trairá o mano assim que Lily lhe der uma solução para acordar a Santa Gilbert – algo que não duvido que aconteça, pois bebês nascem em mapas.

 

Concluindo

 

Tudo se resumiu a elegância. Só. Cadê a verdadeira ação que está ausente há dois episódios? Só focaram em Valerie e em bebês, uma chatice. Uma trama fraca que revelou com mais eficácia os mesmos vícios dos roteiristas. Se a ideia era plantar a treta e gerar polêmica, a intenção foi efetiva. Afinal, é isso o que importa para Plec e Cia., não as histórias ou o caráter dos personagens.

 

PS: o que são aquelas pessoas hipnotizadas? Até que me interessei, mas…

 

PS²: pobre Kai, tomando a culpa pela loucura das showrunners.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3