Menu:
29/jan

Finalmente as coisas começaram a esquentar em Rosewood, um direito de felicidade que me dou, pois, até então, Pretty Little Liars permanece igual aos anos anteriores. O que disfarça é o figurino, fatos reais. Ao assistir este episódio, voltei a ter a mesma sensação de que o quarteto continua na fase juvenil e isso é muito esquisito. Começo a pensar que a série deveria ter contado com mudanças mais radicais, como realmente tirá-las dessa cidade para fortalecer a transição.

 

Não fizeram um fake tour em Nova Iorque? Então…

 

Ficou claro que Rosewood será de novo um apoio para o círculo vicioso se repetir. Tenho em mente que elas saltaram no tempo, mas as atitudes e as reações das Liars permanecem idênticas. Isso é culpa da maneira como o jogo da vez iniciou: uma sequência de obviedades.

 

Todo mundo sabia que CeCe morreria. Todo mundo sabia que Hanna deletaria parte do vídeo. Todo mundo sabia que Lorenzo se tornaria o novo policial mala. Sara se tornou a nova Jenna. Sinceramente, espero que daqui para frente essa fase da série mostre sua diferença.

 

Ao contrário dos dois últimos, este episódio botou o bolo para a assar. Houve aquela impressão de que rolou muita coisa, mas o foco foi somente nas filmagens. Elas serviram para centralizar a problemática, cujo modo de operação não sofreu um update. As Liars serão interrogadas e Lorenzo sairá enlouquecido para provar que elas são culpadas. Mais do mesmo. O que tinha de diferente, e que não vingou, foi o ar de desconfiança ao redor de Aria e de Ezra. Deveriam ter investido nisso.

 

Obviamente que o ato de Hanna renderia uma dor de cabeça, informação nada surpreendente. De quebra, essa Liar apertou o play para reiniciar o jogo. Só foi fazer isso que geral mudou as expressões faciais, né, Lorenzo? Outro que também se assemelha aos policiais passados em ter tido um relacionamento com Ali e, do nada, abraçar as dores dela.

 

PLL-6x13---Lucas

De novo mesmo só os retornos de Lucas e de Melissa, que relembraram um dos erros fatais de PLL. No caso, ter esquecido outros secundários que foram cruciais para a trama e que nem chegaram a retornar na S6A. Jenna ficou por isso mesmo e o mesmo se aplica ao Lucas que independente de ter justificado o que aconteceu na sua vida, é fato que não é o bastante para perdoar a sua ausência. Por mais chata que fosse. Esse personagem sempre foi um dos elos de Hanna e só voltou para ser álibi.

 

Lucas nunca foi meu personagem favorito, porém, o compreendi em vários momentos no transcorrer da série. Apesar dos pesares, confesso que gostei de vê-lo bem, sem resquícios do bullying de Ali e do desejo de pagar com juros e correção o que lhe aconteceu – algo muito fácil de pensar. Pelo menos, tiveram o tato de manter a amizade dele com Hanna sem estranheza.

 

Ainda tento entender o ressurgimento de Melissa a não ser lembrar que Spencer foi uma baita fura olho – e tenho que admitir que, por mais que ame essa Liar, gritei com o cutucão. Simplesmente porque continuei a pensar em Hanna no decorrer de cada troca de diálogo entre Hastings e Caleb. Tenho burocracias com ex-namorado de amiga, sério. Isso me ofende.

 

Voltando a dona Melissa, ela não agrega mais nada. A personagem fez o favor de lembrar do meu inconformismo com relação a sua presença “esquecida” na noite em que Ali desapareceu (Jason estava bêbado, não é?) e do vídeo que voltou à tona em um pequeno instante de desespero – e que me faz crer que qualquer citação ao passado não é por acaso. Vale até dizer que essa Hastings só estava presente para reforçar o quanto a família é comprometida com tudo que aconteceu há 5 anos. Para piorar, isso pode retornar, já que Mona é rival da campanha de Veronica.

 

O pecado maior deste episódio foi aquela emenda de cena para explicar o que aconteceu com Sara. Sério mesmo? Quando você acha que PLL está mandando bem, lá vai Marlene e Cia. pagarem mico. Já disse que esse “plot” é repeteco, pois essa personagem é o lembrete de uma tragédia. Como Jenna.

 

As aparências enganam!

 

O título do episódio fez jus aos desdobramentos desta semana. Uma mão invisível começou a fechar o cerco ao redor das Liars, o que trouxe muito estresse e muita paranoia – principalmente da parte de Hanna. O interessante é que a trama arrematou um debate sobre aparências e os personagens em cena estavam aflitos na bolha de rótulo “mentindo para si mesmo”.

 

PLL-6x13---Emily

A começar por Emily, a expectativa maior deste episódio por causa do segredo. Sabia que quebraria a cara. Tudo bem, gostei da revelação, foi diferente considerando o contexto da série e respeitou o background humanitário dessa Liar. Ao vê-la afirmar que está bem com a ideia, fiquei bem, porque não há muito o que julgar. Contudo, preferiria uma doença. Seria deveras impactante e afloraria todas as emoções do grupo que já estavam à flor da pele neste episódio.

 

Só sei que Emily pode tirar o trono de Aria sobre melhor mentirosa. Ela fez o maior teatro para enganar geral e doeu quando Pam indaga se a roupa da foto de formatura foi comprada em uma loja de fantasias. A Liar bolou tudo, tim-tim por tim-tim, e me pergunto se contarão no que a personagem gastou a grana ao ponto de recorrer a doação de óvulos. Penso que ficará por isso mesmo. Tiraram o segredo da roda cedo, então, já perdeu a importância – a não ser que role efeitos colaterais, algo possível considerando que a mãe não sabe desse outro capítulo.

 

Quem também duelou contra as aparências foi Hanna. Não só pela leve negação sobre ter deletado a parte da filmagem, e ser a responsável em reiniciar o falido “A” Game, mas por causa do que sente por Caleb. A Liar pode jurar que está feliz com Jordan, acredito nisso de leve, mas o ex ainda dá borboletas no estômago. E isso me preocupa porque ela deu aval para Spencer correr atrás.

 

PLL-6x13---Hanna

Fora dessa bolha de aparências, Hanna brilhou muito esta semana e só tenho elogios. Desde o primeiro episódio da S6B, a Liar tem assumido a posição que um dia foi de Spencer. Aquela que pisa na jaca, mente na cara lavada, vê a mãe se ferrar e tenta recorrer a todas as medidas para amenizar o problema. A energia dela trouxe vida a um episódio que não avançou.

 

Melhor momento foi Hanna enfrentando Ezra. E que momento foi esse, né? Ela berrando em plenos pulmões, completamente acusatória, sem ao menos indagar o que diabos o ex-professor fazia fora da cama na noite que CeCe morreu. Isso é muito Spencer, julgar sem checar, e foi até engraçado ver essa Liar puxando as outras para o cerne da bagunça, todas contaminadas com o mesmo pensamento.

 

Com exceção de Aria. Que dó tenho do Liam! A personagem está completamente desconectada de todo o resto e fria. Só focou em manter o mesmo barco navegando e foi muito irritante essa sede de querer provar que Ezra não matou Charlotte e que tudo o que o ex precisa é escrever o bendito livro.

 

Detestei o fato de Aria ter assumido a escrita, agindo como se fosse uma babá fazendo a lição de casa da criança que cuida, mas há males que podem vir para o bem. Uma vez que o elogio sobre o texto veio, faço contagem regressiva sobre por quanto de tempo essa Liar aguentará não receber os créditos.

 

Ezra foi o único verdadeiro nessa briga de aparentar o que não é real. Ele foi real, demais da conta, e as verdades lançadas na face de Aria me fez aplaudir de pé. A Liar nem deveria ter saído aos prantos, mas como uma pessoa sensível o bastante para compreender que o que ele sente relaciona com ela. A personagem foi a diferentona ao ir contra CeCe no tribunal, mas preferiu ficar horrorizada com o ex. Sendo que é um pensamento de geral, só não enunciado. Até eu daria amém pela perda de uma pessoa que fez da minha vida um inferno como A. Aqui não tem perdão não.

 

Então que Spencer e Caleb rolou…

 

E estou um pouco mais confortável, só não segura. Os três episódios foram muito intencionais ao aproximar essa Liar de Hanna, preparando o terreno para este momento. Aparentemente, está tudo bem, mas sabemos que não está. Essa mistura dará muitos problemas.

 

Mas o que importa é que cena mais bafônica, meu Deus! Amei mesmo como a conduziram.

 

E o reboot começou!

 

PLL-6x13---Aria

Fato é que os minutos finais deram a entender que quem continuará com a obra de CeCe é a própria Ali, sensação que ficou enraizada por causa da ausência da personagem. Se Marlene e Cia. perderam a noção da escolha sobre quem seria A, tenho até medo de quem assumirá o segundo round. Uma versão que já quer fazer tudo diferente, a começar pelos uniformes e o estilo da mensagem.

 

Agora sim chegou o fim das coincidências e espero que os episódios futuros passem voando!

 

Agora…

 

Esperando Mona começar a irritar Spencer.

 

PS: por que sempre citam o porco da Aria, sendo que nunca a fazem uma vilã? Cansada!

 

PS: e acho que aquele jornalista ainda dará muita dor de cabeça.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3