Menu:
26/jan

O último episódio deixou claro a missão daqui por diante: Scott focado em recuperar os integrantes do seu bando. Não sei se foi justo Kira ser a primeira, já que preferiria mil vezes uma lavagem de roupa suja que trouxesse Liam de volta – a agonia do Beta em ser desculpado me fez passar mal.

 

Além desse objetivo de Scott, os acontecimentos desta semana continuaram a focar na Besta, o que nos deu mais alguns detalhes para montar este quebra-cabeça. Não menos importante, nos agraciou com momentos Sciles, dando a entender que o que Theo causou entre eles são águas passadas.

 

TW-5x13---Sciles

Sobre a aventura Sciles no Novo México: tão 4ª temporada! Fiquei contente em revê-los grudados e até que muito bem. Passeio que deu chance para menino Stilinski finalmente contar sua versão sobre o que aconteceu com Donovan. Nada como apagar a manchinha que balançou essa amizade, embora seja meio claro que Stiles mastigará o ocorrido até quando os escritores acharem pertinente.

 

O importante é que Stiles seguiu um dos conselhos do pai à risca, começar a perdoar Scott, e a sincronia sempre tão compatível de ambos pareceu que nunca foi perdida.

 

O passeio de Stiles e de Scott tapeou bem um episódio que até teve novas informações, mas não desenvolveu muito. Este é aquele momento que começo a temer, pois ainda não estou convencida de que Teen Wolf precisa de 20 episódios para contar uma história. Ok que são quatro a menos em comparação a 3ª temporada e as peças da S5 têm se encaixado em timings propícios, mas não quero dar de cara com encheção de linguiça – algo que já dou de mérito para Malia.

 

Ninguém realmente notou a falta de Deaton? Considero isso um baita deslize, pois, independente de ter muita coisa na cabeça, duvido que Scott esqueceria o próprio chefe. Principalmente quando a missão que o tirou de cena foi descobrir mais sobre os Dread Doctors. Continuo a ser do contra a essa história da Desert Wolf (e cheguei a gostar muito) e espero que Malia a mate para compensar os episódios que não participou. Esse subplot não está nada promissor, verdade seja dita.

 

Quem também andou passeando foi Lydia e isso também me preocupa – mesmo que a história dela esteja mais interessante que a de Malia. Afinal, a Banshee precisa desenvolver o seu poder, algo que sempre digo que demorou demais, e a desculpa aqui é estender o que não precisa ser estendido.

 

Na medida do possível, vê-la mentalmente acompanhada de Meredith tem sido intrigante. O pedido para Lydia ter foco e direcionar o poder, intencionar o grito, vem com a promessa de que essa personagem será uma forte aliada na treta final. Já consigo prever que ela será a única capaz de acordar a pessoa camuflada em forma de Besta. Seria lindo!

 

Falando nessa Besta, o perfil dela continuou a ser traçado. Os Dread Doctors mostraram que permanecem no controle, mas ainda falta uma razão plausível para almejar carnificina. É bem provável que isso seja esclarecido no episódio 5×18, que rolará em fevereiro, já que se trata de um inimigo sobrenatural ligado a versões passadas da família Argent.

 

No entanto, muito me encuca a garota ou o garoto por debaixo daquele fumaceiro, ressuscitado/a depois de ser perfeitamente esquecido/a. Amo esses trocadilhos com palavras, que realmente existem, pois esclarecem mais a trama. Melhor, dá uma visualização dos próximos acontecimentos. Chute dado em Damnatio Memoriae, que não foi só pauta de Theo, como também de Sciles esta semana.

 

Seja quem for essa Besta, temo sim os estragos que ela pode causar. Especialmente porque essa S5B vem não só com gosto de ressurreição, como de vida ou morte. Os únicos que parecem seguros são os integrantes do bando de Scott, já que os de Theo bateram as botas e farão de tudo para não passarem pelo mesmo novamente. O engraçado é que há interseção entre os componentes, que poderiam ser rivais, e tenho certeza que isso influenciará na hora da batalha desta temporada.

 

Entremeado a isso tudo, lá estava Kira, no meio do deserto, quase se tornando uma Skinwalker. Logicamente que o episódio foi dela e estou contente pelo retorno.

 

TW-5x13---Kira
Morri quando a raposa maligna possuiu Kira e ela toda boba achando que tinha vencido o desafio. Não sei nem dizer quem foi mais sensacional no decorrer dessa história, a mãe ou a filha. As cenas de luta estavam muito bem editadas, de tirarem o fôlego, e garantiram uma energia boa para uma trama que quase foi pacata. Penso que, de agora em diante, essa jovem terá que lidar com o lado negro da força custe o que custar. Outra que também tenho um pouco de esperança sobre um possível samba na reta final ao lado de Lydia.

 

Agora, momento emergência: só pensei em Stiles quando vi os Nogitsune. Não sei vocês, mas, quando o jipe rei se aproximou do point de Kira, no meio do teste, e os seres do mal saltaram das sombras, acreditei no Void Stiles. Fui trouxa, como sempre, mas a esperança é a última que morre.

 

Concluindo

 

Tirando Malia, a trama desta temporada continua a capturar o interesse e parece que Theo começa a enfraquecer por causa da sua inveja negra de Scott. Por mais que ele queira ser Alfa, e vá atrás do Deucalion para isso, o bando não parece tão fiel a sua pessoa. Não em comparação a Tracy. Hayden e Corey podem até fazer campanha para o próprio boss, mas, quando o mundo ruir, penso que será cada um por si.

 

Isso é ótimo, porque assim esse cidadão morre de vez, uma criatura 100% mimada, que bate o pezinho sendo que foi ele quem quis ser experimento. É cada uma…

 

Não duvido que Theo se torne um Alfa. Chamem o Derek para dar um ban nesse pentelho.

 

Fico na torcida para que Liam e Scott se resolvam logo. Não aguento o desespero do Beta em querer remediar o que fez. Mason continua a ser precioso em controlá-lo, mas até quando?

 

Agora, o que rola nessa codominância? Quero mais dessa Besta, por favor!

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3