Menu:
27/fev

Este foi um episódio um tanto quanto cansativo. Foi bastante lento tendo em vista que Murder sempre investe em cenas aceleradas perto de final de temporada, até quando não tem muita coisa para contar. Sinal de falta de costume com relação a roteiro arrastado, porém, ainda relevante por trazer mais informações sobre o passado de Wes e de Rose.

 

Com poucos capítulos à frente, Annalise e seus filhos se sentem em um beco sem saída depois do primeiro sinal de vida de Philip após o caos na mansão Hapstall. A advogada apareceu esta semana entregue a poker face e ri horrores do contra-argumento para cima de Connor, relembrando a desfeita do quarteto (sem Wes) na semana passada. Foi demais a resposta à altura que mostrou a personagem aparentemente recuperada emocionalmente depois do tiro. Estava com saudade de vê-la toda pomposa, mas, feliz ou infelizmente, isso não durou muito.

 

Tudo porque lá foi ela tentar proteger os filhos, só que deu para capturar a falta de esforço/interesse. Essa situação é completamente diferente quando pensamos nos desdobramentos de Lila: Annalise não está no vídeo, como bem pontuou, nem Bonnie e nem Frank, seus braços inimputáveis. A personagem fez corpo mole no decorrer do prazo dado por Philip e deixou à mercê desse tempo a resolução desse pequeno grande problema.

 

Annalise se moveu, mas não com o mesmo afinco que um dia a fez proteger os estagiários. De novo, voltamos ao papo de reputação e a advogada fará de tudo para preservar a sua. Se isso custar um, dois ou todos os filhos, tenho certeza que ela nem ligaria.

 

Não houve tantos movimentos para tentar capturar Philip ou tentar dobrá-lo. Confesso que isso me surpreendeu tanto quanto ver Annalise aceitando conselho de Nate. Sério mesmo que ela esperou até os últimos minutos para ter certeza de que se tratava de um blefe? Choquei aqui também, pois essa personagem de braços cruzados em meio ao caos nunca ornou.

 

Com os vídeos, imaginei que Annalise voltaria com força total para a trama. Só que a personagem continua a se limitar ao seu espaço e não a culpo. Estar farta desse modo de operação é muito possível, vide o jogo aberto com Wes, e seria até mesmo surreal se ela simplesmente lançasse todos os dados para limpar a barra de quem a abandonou. Não ligar tem sido sua ação desde que se recuperou do tiro e é só o que vejo. E, claro, seria desumano vê-la ótima em curto espaço de tempo, já que os episódios têm seguido de onde param.

 

A advogada não está 100% e claramente faz o que pode. E se não pode, nem perde tempo para tentar remediar algo que “não está envolvida”. Annalise tem esse poder.

 

A situação criada por Philip ficou à mercê da sorte e não sei muito bem o que pensar sobre isso. Justamente por causa do costume de ver Annalise empenhada para salvar a própria pele e a das suas crianças. Até Bonnie me surpreendeu ao cogitar a possibilidade de deixar tudo explodir. O elenco adulto está bem a fim de jogar a toalha, vide Frank que amargurará sua profissão extra por causa do que possivelmente sente por Laurel. Não está fácil e a turma quer se libertar, só que agora parece meio tarde demais. Esse pacto é para todo sempre.

 

Murder-2x12---Caleb

Daí, voltamos a diferença dessa situação em comparação a de Lila: o silêncio agora não é mútuo. Asher estava com faniquito querendo se entregar enquanto os demais faziam vários nada por terem largado a resolução nas mãos de uma pessoa que não se moveu conforme o esperado. O máximo que aconteceu foi o cúmulo da cara de pau de Annalise correr atrás de Caleb para não mexer no bolso de Sam. Nem isso funcionou. Parece até que chegou o momento dessa turma pagar as contas e acho oportuno. Já se passaram 2 temporadas e ninguém foi dar um passeio na cadeia – e, sinceramente, não quero que Wes seja o primeiro.

 

O único aparentemente preocupado foi Connor, que recebeu os vídeos com exclusividade por motivos de Oliver, a porta que trouxe Philip para a trama. Dei amém que resgataram o pedaço que faltava do flash-forward, pois achei que tinha morrido junto com a Sinclair. Bom é que Annalise levou o fato dele retornar e esperar a ambulância em conta, mas nada a fez se animar o bastante para limpar uma sujeira que teoricamente não lhe pertence.

 

Murder-2x12---Coliver

Quando dá tempo, fico besta com o desenvolvimento de Connor. Na S1, ele era o espertinho, todo vendido para conquistar o troféu, e, depois do caso Lila, o personagem simplesmente se apagou. Não, não acho isso ruim, pois só nele consigo notar preocupação sobre tudo que aconteceu de um jeito muito esclarecido. O medo dele sobre tudo é deveras notável. Embora confronte Annalise, mesmo sendo na hipocrisia, esse estagiário transparece ter mais senso dos últimos desdobramentos que os outros.

 

Isso, tirando Wes da roda porque o problema dele não tem nada a ver com Lila/Philip.

 

Connor simplesmente deixou de ser ácido e se entregou à paranoia. O personagem já declarou para Oliver sobre o risco de ser preso e voltou a insinuar o sentimento ao promover a própria saideira da Filadélfia. Fugir é uma reação normal e me espanta que os outros, com exceção de Asher que teve outro momento de consciência, estejam só preocupados com o poder de Annalise em salvá-los.

 

Enquanto Connor e Asher ferviam, Michaela só queria saber de Caleb e Laurel de chorar pelo boy (nisso não a culpo porque nem eu aguentaria ouvir que meu mozão matou alguém). Até Annalise, que é Annalise, teve um momento de peso na consciência e foi lá trollar o Wes. É meio insana essa falta de reação focada no âmbito segurança. Faltam mais reações como as de Walsh provenientes da sequência do que imoralmente fizeram desde a S1.

 

O flashback

 

Murder-2x12---Annalise

Quem segurou o episódio foi o caso Mahoney e dei amém por não ter sido nada do que imaginei. Embora todo o racismo estivesse enraizado nos pais de Charles, se tratava de um crime aparentemente doméstico que custou a noiva da pessoa que Annalise tentou defender.

 

De fato, a advogada queria uma testemunha, não para afundar um caso, mas para dissolvê-lo.

 

Até que a baixaria começou e me irritei. Começando pela mãe Mahoney que declarou que Rose tinha que testemunhar porque a família dava a ela um teto e um salário para alimentar uma criança sem pai. Na tradução literal: ela é empregada e negra, tem que servir os ricos e brancos.

 

Daí, veio o pai Mahoney que ouviu o discurso da esposa para mandar o próprio resumo para cima de Annalise: eles a contrataram por ser mulher e negra para comover o júri composto por minorias, não pela capacidade dela. A gravidez foi um plus emocional que poderia também contribuir para a libertação de Charles.

 

Senti racismo nesse plot desde a semana passada. Resumidamente, essa família mostrou que os negros têm mais que a obrigação de servir os brancos. Não-sou-obrigada!

 

Doeu horrores a ofensa para cima de Annalise que, na época, não deveria ser uma pessoa tão dual quanto é agora. Vide o chamego com Frank e com Sam (e gostei tanto de ver Frank animadinho, como se nunca tivesse feito maldade na vida). Isso me dá mais força para acreditar que esse caso simplesmente a estragou. Que ela descobriu que é preciso sabotar para vencer.

 

Murder-2x12---Christophe

O respaldo dessa impressão veio nos malditos cinco minutos finais: Wes matou a mãe. WTF? Único instante que a energia da série voltou, segundos que escaparam entre os dedos com Christophe segurando uma faca e olhando a mãe agonizar. Era fato que a morte de Rose não era suicídio quando foi confirmado o papel de Annalise na vida dela, mas, gente!

 

Essa informação bugou meu cérebro porque Wes pode realmente ter matado a mãe. Esse jovem tem certo temperamento e não vamos nos esquecer que ele assassinou Sam. Por causa desse suposto temperamento, Annalise resolveu protegê-lo com o passar dos anos até a mesma novela se repetir. Até combina, mas algo dentro de mim diz que os Mahoney o envenenaram para cometer o assassinato. Ninguém encontrou a arma do crime, certo?

 

E é aí que caio do cavalo porque Annalise é o encaixe perfeito. Se foi mesmo Wes, ela não conseguiria mudar a cena de um crime sozinha, talvez, por inexperiência. Eis que Eve entrou em cena.

 

Sinceramente, não sei mais o que esperar desse plot e quero saber aonde ele chegará. Afinal, depois dessa nova descoberta, não consigo ver essa história render por mais 3 episódios. No máximo, explicarão como esse caso foi enterrado sem apontar para Christophe.

 

E quero saber cadê o filho da Annalise!

 

Concluindo

 

Embora tenha sido um episódio fraco para os níveis de Murder, a trama foi bem construída ao jogar tanto no presente quanto no passado sem perder o fio da meada. Porém, ficou deveras arrastado, e espero que a partir da semana que vem as coisas esquentem como antes.

 

PS¹: Laurel e Wes? Estou tombada na BR.

 

PS²: eu disse que Bonnie alimentava crush pelo Sam since a terapia, não disse?

 

PS³: eu disse que Annalise não era fã da ideia de ter filhos, não disse?

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3