Menu:
28/fev

Eu sabia que de crossover isso não teria nada, vão vendo. Foi só crossvisita.

 

The Vampire Diaries deu a entender que o plot do Stefan seria a coisa mais importante desse reencontro com TO. Porém, como imaginei, não tinha como abrir mão do Strix que continuou a roubar a cena e não enlaçou mais ninguém de Mystic Falls – até porque a turma de lá não anda na mesma storyline/timeline que os Mikaelson. No fim, foi outra pontinha e ninguém precisa segurar meus brincos porque o featuring contou com um Salvatore que claramente não sabia mais o que era ser protagonista ou dividir protagonismo em uma trama redondinha, quentinha, gostosinha, cheirosa com direito a tombaço do Klaus.

 

O começo do episódio entregou que Rayna não seria a responsável pela adrenalina desse evento da CW e já torci o nariz aí. Tenho sérios problemas quando intentam isso e, no fim, só trazem um personagem e não enlaçam a história. Fica com cara de participação especial a um crossover, algo que Stefan simbolizou muito mais ao manter certo tempo no Quarter. Isso me incomodou, mas não ao ponto de meter textão. Afinal, esse Salvatore fez algo de útil.

 

Aurora e Aya continuaram a conversa sobre a parceria que seria uma mão na roda para dissolver as sire lines. A partir daí, só escândalos que nada tiveram a ver com a caçadora que, particularmente, nem lembrei até Stefan tirar o protetor solar da cicatriz.

 

O Quarter entrou em colapso e abriu brecha para uma nova resolução. Freya e Elijah assentaram o clima do episódio, ainda apoiados na profecia, e a preocupação de Klaus ainda era caçar Aurora para recuperar as balas de carvalho branco. Não havia um plano maior para evitar o sucesso de A&A e ambas continuaram a sambar tendo Davina como porta-bandeira.

 

TO-3x14---grupo

Foi uma ótima sacada tirar os irmãos de cena logo de cara, pois só assim Stefan teria algum espaço para agir na companhia dos outros personagens destacados. Amei o jogo de cintura dele na companhia de Hayley e falando um timbre mais alto que Marcel e Lucien. Só ele mesmo para compreender o que é um Original em risco, o quanto qualquer pessoa faria questão para que um morresse sem erros, por ter contribuído várias vezes para isso acontecer. E, claro, tê-lo em um baita acontecimento desta temporada de TO foi esplêndido.

 

A partir do tombo de Elijah e de Klaus, a trama só cresceu e culminou em vários momentos impactantes e de tomar o fôlego. Foi realmente incrível vê-los desprotegidos, dependentes das outras pessoas que simplesmente poderiam lhes virar a face. A sacada do “mundo mágico” parece ser a única forma desses dois lavarem a roupa suja com quem quer que seja e ainda funciona. O reencontro com Tristan e Aurora só enriqueceu uma tramoia que não teve freio. Simplesmente fluiu, sem grandes bloqueios e reviravoltas chocantes. Foi como “tinha que ser”.

 

Klaus tinha que sentir na pele que estava frágil e desprotegido. Elijah tinha que sentir que sua elegância e inteligência de nada adiantariam para salvar a pele da família contra a profecia. Um instante que voltou a ressaltar o valor da família, o quanto o Always & Forever é o contrato mais furado de todos os tempos e que de fato ambos estragaram os primogênitos – como tantas outras vidas que cruzaram o caminho dos Mikaelson. Gostei mesmo de Aurora ter cutucado a ausência de amigos dos Originais e como essa impopularidade só atrairia inimigos caso a quebra do link desse certo. Só sei que os filhinhos estavam ótimos e os amei.

 

Não tenho palavras para descrever Tristan. Capturei a dor dele sobre o que Elijah fez concentrado mais no olhar que na fala. O mesmo Aurora e seu coração para sempre partido por causa de Klaus. Apesar de não tê-los curtido por considerá-los desnecessários, não tiro o mérito dos primogênitos em retaliar os Mikaelson. O motivo principal ainda foi muito válido e voltou para a roda de conversa como uma ferida permanente. Quem merece passar uns bons anos se passando por aqueles que Mikael queria tanto encontrar? Não foi justo.

 

Se observamos fora da bolha, os Originais foram egoístas para se protegerem. O que não é bem um escândalo, mas permite ver que os filhinhos não estavam tão errados em querer a liberdade (e os pais mortos porque matar/morrer é o moto dessa série).

 

TO-3x14---Tristan-e-Aurora

Por causa disso, desse peso de querer e não conseguir, a despedida de Aurora e de Tristan foi um dos momentos mais tristes deste episódio. Foi impossível não sentir o gosto de fracasso de não destruir um Mikaelson, algo que todo mundo, até em Mystic Falls, sente uma amargura. Deu até para esquecer por alguns segundos o quanto a relação desses irmãos foi deveras doentia, abusiva para ela e controlada por ele. Rebekah e Klaus perto deles são suaves demais.

 

Esse gosto de liberdade também rendeu um momento bem triste para Aya e fiquei arrasada. Ela não queria mais ser parte da vida de Elijah e de dividir sua vida com ele. Como não querer os Mikaelson mortinhos depois da declaração dela? Impossível! Por essas e outras que, às vezes, sei que soo como a hater dessa família, mas não tem como não ficar dividida. Não condeno ninguém por querer liberdade, até eu iria querer. E, claro, me incomoda o fato de Klaus e amigos sempre serem salvos enquanto os que foram transformados pagam caro por ousar desafiá-los. Vejam a Cami, o maior exemplo atual que posso dar e até então é irremediável.

 

O que me segura é lembrar que ninguém nessa vida é inocente. Vide Marcel que não me comoveu nem um pouco com esse desejo de se ver livre e, depois, precisamos salvar Klaus. Ele representa o outro lado da moeda que não remete em nada a dos primogênitos e a de Aya. O híbrido-pai o salvou e o cuidou como filho, e ingratidão não passará. Aí sou Team Mikaelson, até perdoo os ataques paranoicos, porque não dá para defender gente falsa.

 

Mesmo que tenha trollado Davina, certeza que Marcel não retrocederia da quebra do link se tivesse a absoluta certeza de que não seria perseguido ou coisa pior (e o personagem só fez o que fez porque a profecia dedou que a sire de Klaus queimaria).

 

TO-3x14---Davina

Apesar de irritante, quem honrou a palavra foi Davina e ela ainda me saiu como a espertinha. O feitiço para quebrar o link devolveu o brilho da personagem e o embate de segundos contra Klaus acabou com as minhas estruturas. Queria que ele quebrasse o pescoço dela ao mesmo tempo que queria que ela o matasse. Muita perfeição em uma só cena. O despertar do híbrido, a reação emergencial dela, parecia final de futebol, cadê Galvão para narrar isso?

 

Por mais que tenha sido a pessoa mais incoerente de alguns episódios para cá, Davina sambou por finalmente ter tido Klaus na palma de suas mãos e por ter concluído um plano que foi mais seu que de Aya. Apesar dos pesares, a personagem merecia isso. Pode não tê-lo matado, mas libertou todos aqueles que tinham suas vidas eternamente dependentes do híbrido.

 

Mas daí me lembro que tudo isso foi pelo Kol e fico com sono. Davina simplesmente tomou partido das pessoas, inventando desculpas mais para si mesma a fim de não retroceder do feitiço. Não tem como defendê-la.

 

Espero, mesmo, que não romantizem o reencontro Kolvina. Se fizerem isso, será reprise do que já vi em TVD, o amaciar dos erros do mozão. Falamos desse Mikaelson que passou a temporada passada plotando com a mãe e, no fim, só queria fazer parte da panelinha dos irmãos. E conseguiu. Se ainda há senso, o vampiro mandará a crush passear. Não tem que rolar perdão não. Não é Always and Forever? Quero ver provarem isso com o retorno desse cidadão.

 

(Mas a promo já dedou que Kol ficará ao lado da Davina, que coisa mais sem sentido).

 

Resultado da mistureba

 

TO-3x14---Klefan

Teve vários pontos altos neste episódio. Foi glam Elijah contar para Freya que empalou Rebekah em vez de Klaus descobrir e ter outro momento gritante do quanto o mundo é injusto. O retorno de Lucien veio em um timing corretíssimo porque não há mais Tristan e Aurora para continuarem a história e alimentarem a profecia. As despedidas foram dolorosas também. Foi uma semana excelente para The Originals, pena que a audiência não sobe.

 

Por mais que não tenha sido bem um crossover, mas sim uma participação especial, o que levo de positivo foi a preocupação de ao menos embasarem os acontecimentos que levariam Stefan até o Quarter. Mesmo que não tenha sido a história central (sendo que deveria já que falamos de um evento desses), incluí-lo no momento em que os filhos de Klaus conquistam a liberdade me deixou sem palavras. O mesmo vale para parte do plano que foi atrair Rayna para o Strix, outro instante alucinante que ajudou a acabar com a sociedade, e para a profecia.

 

Stefan poderia ser o amigo e Rayna a inimiga (indiretamente até que foram). Melhor que Enzo e seu plot novo.

 

Também aprendi que Stefan combina perfeitamente com o clima do Quarter e vale dizer que fiquei muito contente pelo destaque que finalmente deram ao personagem depois de tanto tempo. Afinal, Damon agora é quem assume uma história que até onde sei sempre foi do Salvatore mais novo. Paul ganhou vida em The Originals, algo que não vejo mais em The Vampire Diaries. E credito grande parte dessa sensação ao fato de lá ter Phoebe e Daniel.

 

Pensamentos finais

 

TO-3x14---Klaus

Vocês podem não ter notado, mas nunca vi tanta tentativa em reviver ou criar shipper nos dois episódios. Como não há mais nenhum que segure o interesse, claramente os escritores estão em busca de alguma faísca que mantenha o público ligado. Só respeito Stefan e Hayley grudadinhos porque certeza que fizeram isso por serem Paul e Phoebe (e eu agradeço!).

 

Se eu fosse escolher uma das séries para sobreviver aos cancelamentos seria The Originals. Ela ainda me atrai e TVD me cansa. Digo isso porque estou mais do que pronta para abandonar as resenhas das duas. Esperei este crossover acontecer para chegar a uma conclusão e a conclusão é essa: é hora de desapegar.

 

Minha esperança é darem uma temporada final para a turma de Mystic Falls, mas duvido. Se os Salvatore conquistarem uma S8, já sei que essa série será uma Supernatural da vida (que continuo a amar, mas deixei de resenhar também).

 

Dries chutou parte do seu emprego em TVD e entendi como um sinal.

 

Mas o que interessa é que Klaus será perseguido pelos inimigos, o que não faz o menor sentido porque ninguém pode matá-lo sem o carvalho branco. Vai ter mudança de regra porque não existe mais essa sire line ou por causa da energia que lhe foi tomada? Não sei, mas, talvez, eis o motivo desse cidadão ter sumido por 3 anos.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3