Menu:
10/abr

É sempre bom terminar de ver um episódio de uma série que você gosta aos prantos. Só lamentei por todos os acontecimentos desta semana que deram aval a decisão um tanto quanto abusada de Lucien: ser um Original 2.0. A trama girou em torno do vai ou não com relação ao feitiço, de Freya à beira da morte, de Vincent duelando contra os ancestrais e dos Mikaelson que restavam no Quarter trabalhando para salvar quem era importante. Confesso que não senti nem um pouco a falta do Marcel e preciso de mais Cami nessa série.

 

O intuito desta semana foi amarrar o que tinha solto para ser lançado rumo ao season finale. Os primeiros minutos foram decisórios: Lucien viajou até Mystic Falls, se embrenhou no solo sagrado e anunciou que se tornaria a Besta da profecia. Pensando que esse assunto continua superficial, volto a frisar o que disse na semana passada: a essa altura do campeonato, nada mais justo que dar esse conflito para quem o empurrou na trama. Depois das tretas entre sire lines (que também ficaram por isso mesmo), o timing agora é para encerrar a temporada dentro do tema que estreou esse 3º ano. Não sei bem o que cogitar para o futuro de TO, sendo bem sincera.

 

TO-3x17---Lucien

 

Agora, tirando o contexto da trama, confesso que torci o nariz para essa empreitada de Lucien porque me soou extremamente cômoda. Imaginei que o personagem teria um superplano levando em consideração sua ausência e seu jogo de confiança para cima dos Mikaelson (que lhe garantiu a bala de carvalho branco que amém não existe mais). Se já considero o fim da picada todo mundo ter corrido atrás de uma madeira mais que milenar por causa de um “boato”, imaginem minha cara quando esse cidadão narrou sua cartada final. Não, né?

 

No desenrolar desse plano, Lucien mostrou que é desequilibrado, mas sem perder o humor que tirou um pouco a tensão dessa transformação. Ri para não chorar quando a justificativa além da ideia veio (tirando os ancestrais): querer um bando de novos Originais ao seu reflexo (isso se ele conseguir transformar alguém porque sua mordida é letal). Aurora é a segunda desse experimento e já faço drama porque essa personagem tem parafusos a menos e com poder turbinado tenho certeza de que ela será insuportável. Ainda mais quando a promo do 3×18 denunciou Klaus como o próximo alvo.

 

A egomania de Lucien não se compara em nada a do pai, fatos reais, e espero que daqui por diante os planos sejam inteligentes. Diante de tanta simplicidade nesse fragmento de trama, ao menos amarraram a cura contra mordida de lobisomens e deram início total ao babado da profecia. Dois itens que me deixaram plenamente convencida de que cairiam no esquecimento.

 

No redemoinho, bom mesmo foi o arremate com a curta visita à Mystic Falls (e os curtos flashbacks) que contou com a participação do dono da cidade, mais conhecido como Matt Donovan. Pelo uso do uniforme, tudo indica que essa aparição está na linha temporal que deu sequência à expulsão dos Salvatore. Isso anulou qualquer possibilidade de algum personagem encontrar Elijah e Finn, até porque Stefan fugia de Rayna e Damon dormia. Uma pena porque amaria vê-los frente a frente.

 

Mozão não arregou, nem diante de dois Originais e depois de um turbinado Lucien. Embora curta, sua presença acarretou o agridoce da nostalgia com relação ao tempo em que os Mikaelson habitavam esse lugarzinho que perdeu a magia. A tirada de Matt para cima de Finn foi sensacional, bem como rever aquele espacinho estreito que tem muita história para contar além da morte desse Original.

 

Meu medo agora é que a temporada termine no clima Dahlia, cuja sede era meramente rancor de Esther. Está tudo simples, embora esteja estruturado e até então bem amarrado. De novo, fiquei com a sensação de que o plano de Lucien transcorreu com facilidade e não tem Elijah para respaldar essa afirmação. Os Mikaelson chegaram atrasados, como assim!!? Só dou um desconto por motivos de ancestrais e porque é ótimo ver essa família alheia à nova ameaça.

 

E Finn morre de novo

 

TO-3x17---Mikaelson

 

Esse Mikaelson nada mais foi o estopim do conflito com Lucien. Será que dessa vez é definitivo?

 

Finn arrancou suor dos meus olhos sem um pingo de dificuldade. Queria não lamentar por ele, mas lamento. Principalmente porque esse personagem nunca teve a chance de experimentar o que é ser um Mikaelson tanto na intimidade quanto na ação. Como disse na semana passada, seria impossível vê-lo extirpar as dores com relação aos irmãos e o repúdio de si mesmo, mas dar uma chance de convívio, como Kol tem tido, poderia dar uma aliviada. O pouco que fez na companhia de Elijah mostrou que tê-lo como aliado seria bacana.

 

Em mais um fim na sua trajetória, esse Original apenas lembrou que o que sempre faltou entre os membros dessa família, além de confiança, é estímulo.

 

E há a questão da lealdade, outro ponto sempre difícil para os Mikaelson, mas, ao menos, Finn contou com Freya. A nova última cena desse personagem quebrou o coração e o rombo se tornou maior quando ele confessou que reconheceu o tal Always and Forever. Foi aí que a casa caiu, pois nem isso esse Mikaelson aprenderá na prática, o que acho injusto quando penso em Kol.

 

O estrago emocional veio acompanhado do último suspiro de Finn: a chegada de Klaus, que não pensou duas vezes em ajudar o irmão; Freya aos prantos no leito; Kol se fazendo de difícil e depois se permitindo a perda; e Elijah de mãos atadas. Uma conclusão linda para quem nunca participou em demasia desse universo e desprezou a família sem pensar duas vezes.

 

Soltando uma opinião impopular: o discurso durante o velório arranjado de Finn foi para deixar qualquer falsiane com orgulho. Kol e Elijah, ‘cês num tinham nem que tá ali, lindos! Só Freya que era a única com direito ao espaço de fala do seu claro irmão favorito. Já os outros, podiam ter se inspirado em Klaus que falou justamente o que Klaus diria quando alguém mexe com sua família (e ri demais porque esperei algo lindo e lá foi esse cidadão fazer jus a sua personalidade).

 

Extirpando-me dessa opinião, foi emocionante o jorrar das cinzas acompanhado do discurso de cada Mikaelson. Pareceu até que entre eles não há tempo ruim.

 

Daí, entro na minha zona de inconformismo: Rebekah. Pego leve com essa personagem em comparação ao caixão da Elena porque ela fez muito mais que a antiga protagonista de TVD. Mas é muito chato não tê-la em instantes tão cruciais e repito que não me importaria se simplesmente a matassem – e levar sua sire line junto.

 

E os demais estavam de boa

 

TO-3x17---Davina-e-Vincent

 

Não houve tantas participações marcantes neste episódio, a não ser de Davina. Não é que essa jovem estava mais tragável? Quem sabe agora melhore, pois a máscara de Kol caiu e gostei bastante do posicionamento dela com relação aos pitis do namorado temperamental. Só o fato da bruxinha realmente ver que o crush está todo bagunçado me deixa aliviada.

 

E devo isso a dona Cami. Davina agora sabe que Kol também faz parte de algum plano maior (plano backup?) dos ancestrais. Faltam três pessoas para rechearem os inimigos da profecia e é possível que esse Mikaelson se torne parte. Duvido muito que o retorno dele é meramente para dar uns beijos.

 

Vincent é tão maravilhoso! Não aguento com esse homem e seus paranauês, cheio dos trejeitos que entregam o quão complexo é ou não um encantamento. Ergui as mãos para o céu em sinal de #preach para a revolta dele contra os ancestrais e quero ver só no que isso dará.

 

Considerando que este episódio amarrou os lobisomens e o feitiço que criou os Originais, capaz que Vincent e Davina influenciem diretamente o papel da Besta daqui por diante. Afinal, é uma criação impulsionada pelos ancestrais e penso que Lucien contará com proteção extra. Só o fato de ambos prometerem certa dose de magia no final da temporada fico contente. Os Mikaelson não derrubarão sozinhos essa versão aprimorada deles mesmos e o olhar perdido de Elijah e Klaus denunciou isso.

 

TO-3x17---Klaus

 

Não posso finalizar esta resenha sem falar sobre Klaus. Tem como pausá-lo desse jeitinho por todas as temporadas que estão por vir? Hayley foi genial em dizer que queria ver como ele agiria tendo Hope como seu maior alicerce para entrar em ação e concordo que foi uma baita visão. Vê-lo engajado, preocupado, sanguinário por razões justas e altruístas, tornou esse curto trabalho em equipe formidável. É só pararem de centralizar os dramas nele que temos um personagem melhor. Hora de inovar já que TO foi renovada.

 

O cenário de experimentos fez com que Klaus entrasse em um espaço, digamos, mais humanizado, aonde seres sobrenaturais também sofrem e precisam ser protegidos. O híbrido estava em um contexto novo e diferente considerando sua trajetória desde TVD. Ele nunca viu aquilo, provavelmente teria gostado na época maligna, e vê-lo ficar com Hayley, com uma absurda vontade de ajudar e de compreender os planos de Lucien, foi uma grata surpresa.

 

Só me pergunto como chegaram ao Lucien nesse lado da história, sendo que Klaus recebeu uma ligação de Elijah no dia seguinte. Deve ter a ver com o que o híbrido viu na árvore no episódio anterior. O personagem mostrou que conhecia o modo de operação, então…

 

Concluindo

 

Mais estrelinhas para a história que envolve os lobos e as 7 alcateias. Vejo Vincent e Davina envolvidos aqui também para inventar um serum que cure os Originais, e qualquer outro do mundo Mikaelson, das mordidas de Lucien e até de Aurora.

 

Com um Original a menos, foi dada a largada para a profecia. Lucien e Aurora agora estão unidos para destruir os Mikaelson e me pergunto qual é o fundamento de resgatar a ex-amada de Klaus tendo em vista que se Rebekah morre ela morre.

 

A transformação para um híbrido supremo muda a ordem da sire line? Em tese, Lucien renasceu como os Originais – que transitaram de suas versões humanas para a vampírica. Tudo bem que não faria sentido Aurora sair do ambiente de risco sendo que é efeito colateral – isso se ela ingeriu mesmo o serum. Quero ver como desenrolarão isso.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3
  • Isis Renata

    quando terminou o episódio eu falei ‘de novo essa Aurora do caraleo’ essa personagem me irrita, e é pelo fato de que temo o que ela poderá fazer com tanto poder lhe dado.
    se ela fodeu com meu shipper e minha Cami, temo pelo futuro do Klaus.
    também gosto demais do Vicent e acho que ele samba em muitos momentos.
    kol me dá preguiça com essa história de ‘sou o revoltado, me respeitem’ e vão usá-lo sim hahaha (pobre Davina, again)
    também concordo que Klaus evoluiu demais nessa viagem com a Hayley e acho que isso acrescenta coisas boas para o finale. sempre vai depender de como ele agir, para as coisas fluirem

    aguardemos!

    • Hey, Random Girl

      MIGA, ME SEGURA COM ESSA AURORA! HAHAAHAHAHAHAHHA Não aguento essa moça, a voz dela é irritante, e toda aquela pegada teatral me deixa tão triste que HAHAHAHHAAHAH

      Vincent é amor <3 Pode nunca morrer ou farei panelaço.

      Klaus podia ficar desse jeito pra sempre. ♥ Só assim pra eu dar chance u.u