Menu:
23/abr

Este episódio de The Vampire Diaries foi tão desnecessário quanto o 7×10 por ter girado em um único assunto e não ter ido a canto algum. A salvação veio da ótima atuação de Graham, que levou tudo nas costas. Os momentos Bonenzo foram um belo tapa buraco para a falta de conflitos de uma trama que já pede arrego por não aguentar mais ser empurrada com a barriga e depender de flashbacks. Vale até mencionar Rayna, outra que está sendo sugada à toa. Não há mais no que se segurar nesta temporada (será que tinha?).

 

O único momento que meu coração ficou feliz foi com o desenrolar do capítulo de Bonnie, a esquecida depois do salto de 3 anos. Instantes que criaram bons paralelos com o presente, mostrando o cafofo de esconderijo e o quanto ela passou a contar com um Enzo que, de novo, apareceu completamente diferente. Ambos dominaram, independentes, como se nunca tivessem ficado de lado em uma série que não os beneficia.

 

Nem sei dizer qual parte mais gostei porque todas estavam bem alinhadas, ritmadas com o presente e, inclusive, regadas com o forte posicionamento de Bonnie. Ela me encheu de orgulho ao se manter irredutível para cima dos homens que a rodearam, reinou e distraiu a realidade de um roteiro que não tem a antiga complexidade de The Vampire Diaries na hora de correr para salvar alguém – e o grande mérito disso é o desgastado fator morte que nem rende mais surpresa.

 

Pelo menos, se preocuparam em nos dar os 3 anos de Bonnie e agradeço. Engraçado que conseguiram desenvolver em curto espaço de tempo o relacionamento de duas pessoas que nunca conversaram por mais de 1 episódio e soou tão natural. A diferença de não ter o peso do fandom, não é mesmo? Choquei horrores com a química dessas crianças, detalhe que contribuiu para deixar os momentos íntimos na medida, sem a sensação de que o amor surgiu de uma hora pra outra.

 

Enquanto alguns romances de The Vampire Diaries rolaram pela ordem da nave da Xuxa, a passagem de tempo beneficiou e valorizou Bonenzo. Algo semelhante à introdução de Rayna, outro ponto de acerto desta temporada (até começarem a destruí-la). O clima estava superagradável, a troca de filtro para indicar o passado ficou linda, bem como a trilha. A cena do Ano-Novo foi um belo de um tiro e não sou capaz de opinar.

 

TVD-7x19---Bonenzo

Quando é que Enzo se tornou mozão? Maior mozão!

 

Em curtos minutos, Bonnie e Enzo trouxeram um pouco de angústia e de expectativa com relação ao que passaram a sentir um pelo outro. Rolou até um gostinho de nostalgia, pois o intento do flashback foi desenvolver um amor que agora é ameaçado pela morte. Deu muito certo. Vê-los no presente como adolescentes apaixonadinhos foi fofo e quero protegê-los. Nem me reconheço por ter mordido a isca Bonenzo, apesar que não cheguei perto de ter uma opinião 100%.

 

E, gente, quem era Enzo esta semana? A criança voltou a brilhar e estou embasbacada porque tinha perdido a esperança de que esse cidadão um dia teria chance de agregar alguma coisa – uma verdade porque taí alguém que fez vários nada desde que foi promovido à regular. Demorou e, de quebra, o personagem mostrou como é que se muda por amor, algo que Damon prega e não passa de lorota porque sempre há a repetição das mesmas nhacas.

 

Enzo estava muito diferente de suas últimas aparições e fez o favor de refrisar o que venho dizendo sobre o personagem ser bom só quando lhe dão algo que valha a pena assumir. Ele realmente me surpreendeu com essa de proteger Bonnie. O vampiro a protegeu mesmo, muro completo, se arriscando no papel de duplo agente. Só cometeu o erro com as pílulas, o acréscimo que sinalizou o quanto esse viés na storyline dele e da bruxa está humanizado.

 

(E, não sei vocês, mas Enzo transmitiu de novo a sensação de que era apenas um humano, sendo que continua o vampirinho camuflado).

 

Uma humanização que os fortaleceu, porém, não foi o que chamou minha atenção. O que me conquistou foi a postura do mozão da Bonnie, o que o distanciou de um Damon que não cresce. O confronto breve entre ambos merece aplausos, pois Enzo sambou ao dizer que da parte dele veio um erro e da do coleguinha uma escolha. Melhor foi ver o Salvatore não aguentar o tranco da realidade e agir daquele modo infantil quando ouve verdades. 160 anos e ainda isso.

 

Para terminar de acabar, Enzo mostrou como é evoluir por amor, algo que Damon não experimentou ainda – e insistiu em dizer que dormiu em nome dos amigos, tá bom!. O confronto entre esses dois só fez o favor de relembrar quem é que continua parado no tempo.

 

O timing Bonenzo foi o melhor amigo deste episódio e, de quebra, deu mais sobre a família de Enzo. Virginia é irmã de Alex e ambas têm outra irmã que está presa no cofre. Lucy Bennett (#sdds S2) entra como uma memória supostamente assassinada pela Virginia que não pensou duas vezes em tentar matar Bonnie. Quem diz a verdade, hum? Alex que jura que quer salvar Yvette por culpa ou Virginia que agiu como se a Besta fosse ser liberada? Essa dualidade custará o posicionamento de Enzo, tô sentindo, e espero estar errada. Principalmente porque Bonnie disse em alto e bom som que o namoradinho estará com ela até o fim. Já ouvi isso antes e rendeu em facada.

 

Os demais

 

TVD-7x19---Rayna

 

Meu descontentamento com Rayna foi ao auge esta semana. Sinto-me a pessoa que foi iludida e, no fim, não correspondida. A personagem não tem mais nada pra oferecer e agora lhe resta enlouquecer até o final da temporada. Cadê justiça? A história dela morreu junto com a pedra fênix, algo que me fez recordar Katherine quando ela percebeu que o efeito da cura começava a acelerar seus anos que o vampirismo fez o favor de barrar.

 

Fato é que ambas se assemelham nos seus respectivos “estou perto de morrer”. Elas perderam as características que as tornavam genuinamente impiedosas e implacáveis para o pretexto de desejar os últimos minutos de uma humanidade que nunca tiveram antes de bater as botas. O que nisso dá? Descaracterização, claro, pois nada mais bonitinho que mostrar que há bem até mesmo em que foi moldada para matar. Não aceito, não quando venderam tanto a caçadora.

 

Não me entendam mal, gosto bastante de quando tornam o mal em bem. Katherine e a filha foi lindo, mas acabaram com a caracterização de Pierce por causa da necessidade de ser Elena. O acerto nesse quesito depende muito do caso e em The Vampire Diaries já virou repetição de uma fraqueza que existe desde que Klaus saiu de cena. Não há vilão para chamar de vilão, Kai foi o mais perto disso e quase amoleceu como Rayna. E, sério, como um universo sobrenatural não tem um inimigo duradouro? Até Supernatural consegue inovar um pouco depois de anos no ar.

 

Sem Klaus, todo projeto de vilão que se seguiu amolece e tem sua trajetória destruída. Se fosse algo bem escrito, não teria do que reclamar, mas Rayna entrou no mesmo ciclo: um sucesso para terminar em fracasso. Reduziram o papel da caçadora como fizeram com Katherine e isso é inadmissível.

 

Outro que não para de passar vergonha é Stefan. Além do divórcio Defan (ambos estavam insuportáveis esta semana com esse sentimento de rejeição sendo que provocaram tudo), baixou nele o Damon para forçar a barra para cima da ex? Um tanto quanto intragável e intrusivo tendo em vista que esse personagem é famoso em respeitar as escolhas das mulheres com quem namorou. A maneira como esse cidadão enfrentou e rebaixou Ric foi desrespeitoso demais. Watch seu recalque!

 

Stefan voltou das trevas um tico descaracterizado e Caroline fez bem em não dar a mínima para esse cidadão. Vale um brinde ao Ric que falou umas boas merecidíssimas. Defan mereceu todos os vrá! esta semana.

 

Concluindo

 

TVD-7x19---Damon-e-Rayna

 

Além de Rayna ser o fiasco, que trama é essa que ruma para mais um finale? Ela não existe, caso perguntem. Fora Enzo e Bonnie, só houve a caçada de vampiros para…? Salvar Bonnie. Se isso era uma tentativa de criar expectativa, não deu certo. Vamos nos lembrar de que essa personagem já morreu e voltou, e o mesmo se repetirá. Estou bem de boa.

 

As barganhas deste episódio para gerarem tensão cheiram a flop. Rayna simplesmente topa morrer? Rayna está exausta de caçar sendo que sua missão é em nome da promessa feita ao pai? Quando é que ela degustou momentos humanos para desejá-los? A mania de preencher buraco com diálogo. Já tem muita coisa errada e acrescento Alex e sua bondade de querer a irmã. O percurso está bastante previsível e aparentemente sem graça.

 

Pela promo, os demônios da Armory serão liberados. Já vi isso em forma de tumba sendo reaberta. Sério, não dá mais essa série.

 

Enzo, Bonnie, Damon, Stefan e Ric se movimentaram para matar quem fugiu da pedra fênix e pareceu uma gincana de quem matava mais. Essa vampirada do mal não influência diretamente em nada na história e o fato disso vir como pretexto para transferir o poder de Rayna para a única bruxa da famigerada Mystic Falls me dá preguiça.

 

Não tem nem o que dizer sobre aquele cliffhanger. Levando em conta que essa turma tinha 48 horas para aniquilar a lista, penso que Armory será o big deal de mais um finale que se aproxima para The Vampire Diaries (e, vejam bem, Alex nem é vilã).

 

PS: Precisavam mesmo ter matado Beau? Ok que ele nem tem mais o que fazer ali, mas achei desnecessário tendo em vista que não se tratava de um inimigo.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3