Menu:
07/maio

Estou dividida com relação a este episódio de The Vampire Diaries. Gostei bastante de alguns momentos, outros nem tanto. O que não é nenhuma surpresa, claro, me vejo constantemente nesse conflito, porém, o peso das coisas ruins sempre se destacam.

 

A diferença agora é que as boas suprimiram um pouco as ruins, pois os acontecimentos desta semana garantiram o potencial de trama que é bem provável que seja temporário (igual Rayna). Só tenho a agradecer pelo destaque individual, sem intromissão alheia, de Bonnie. Personagem que mostrou o quanto foi limitada desde que TVD mergulhou unicamente na onda Delena.

 

Porém, não posso abrir mão das coisas ruins ou não seria eu mesma. Plec e Cia. venderam descaradamente falso empoderamento e é aí que meu estômago embrulhou várias vezes.

 

Este episódio tinha todas as chances de ser 100%. Apesar de ter sido muito bom e de ter engajado as mais variadas emoções, perderam o timing para resgatar as memórias passadas de TVD. Não gostei das criações na mente de Bonnie, não representaram peso algum, e não passou de um copia e cola de Buffy: A Caça Vampiros – que ganhou um lacinho por motivos de Enzo, o vampiro do qual a nova caçadora está completamente apaixonada.

 

Bonnie poderia ter sido imersa em lembranças relacionadas à amizade com Caroline e com Elena, o relacionamento com Jeremy e com Sheila, combo que faz parte da sua história desde os primórdios da série e que a fazem mais humana que a presença de Damon e de Enzo. Principalmente quando o objetivo foi resgatar seu lado bom. Não ornou em absolutamente nada esses curtos vislumbres que só serviram para centralizar dois homens como base importante da vida dessa mulher. O Salvatore se destacou como o motor raivoso da agora caçadora e o mozão se tornou o “ar que ela respira” ao ponto de já desejar um futuro colorido. Apenas não!

 

(a cena entre Bonnie e Enzo na sala de música foi o único momento que Graham me pareceu falsa. A pausa entre lágrimas ficou bem ruim).

 

TVD-7x21---Bonnie

 

Apesar dessa reclamação, a cena de Damon na mente dela foi a melhor porque envolveu a casa dos Gilbert – lar que praticamente cresceu – e arrematou as verdades do Salvatore. Bonnie confirmar isso mais tarde me fez aplaudir. Esse senhor de 160 anos acha que engana, mas culpa sim a BFF pelo sono eterno de Elena. Acredita o contrário quem quer, pois a calorosa revelação fez justiça ao personagem. Ficou verídico para quem ganha diálogos que não condizem com sua storyline com Santa Gilbert e pós-Santa Gilbert. Acertaram dessa vez.

 

E Bonnie dando na cara de Damon? Caroline precisa fazer o mesmo com Stefan. Seria ótimo!

 

O rememorar na mente de Bonnie teria sido mais dramático e mais especial se tivesse cenas da S1-S3. Damon pode ser o melhor amigo agora, mas não representa absolutamente nada quando pensamos nos três primeiros anos da série. O mesmo vale para Enzo, um amor recente que pontuou o desmerecimento do que ela viveu com Jeremy. Esperei cenas do passado distante de TVD e não foram inteligentes. O vamp walk foi micão e o mesmo vale para o crush que chegou agora e foi destacado como o ser mais importante da trajetória dessa personagem. E, convenhamos, não é, a não ser há três episódios.

 

É aí que entra o falso empoderamento – parte 1 que comentei lá em cima. Trazer o lado humano de Bonnie não contou realmente com seu passado, mas com dois homens que até ama, só que possuem mais manchas que Klaus na sua trajetória. Esperava Matt entrar na mente dela, mas nem isso fizeram. Tenho certeza que emocionaria mil vezes mais.

 

O episódio veio de gracinha com essa de mulheres fazem suas próprias escolhas, tomam as próprias decisões, mas nenhuma teve a escolha respeitada ou realmente abraçou a escolha. Tudo bem que TVD, a essa altura do campeonato, não aniquilará ninguém do cast principal – sendo que tem muitos que podem ser tirados de cena porque não fariam a menor diferença (Ric? Caroline? Matt?). Mas custa, pelo menos uma vez, uma mulher ser empoderada nessa série? Verdadeiramente empoderada?

 

E quando indago isso não confundam com Bonnie assumindo o lado caçadora e correndo atrás do Damon, porque não passou de destaque dado a uma personagem que estava há tempos marginalizada (e nem é protagonismo também, embora ela tenha protagonizado o episódio). Infelizmente, não a deixarão evoluir dentro desse novo salto de storyline porque ela “não pode” mudar tanto assim apenas e exclusivamente por causa do BFF e do mozão.

 

Não é de hoje que a série não permite que as escolhas femininas aconteçam fora do arco amoroso e quando tem a chance não fazem. O filete do romance é o que faz as mulheres de TVD retrocederem mil casas por causa dos homens desde meados da S4. Bonnie pode até ter considerado Damon, mas jogou o verde para Enzo, o cara que ama. Bonitinho, mas não tanto.

 

TVD-7x21---Caroline

 

Isso está tão errado e ganhou força pelo comportamento de Caroline. A personagem simplesmente desapareceu da série, mas conseguiu ser marcante ao insistir em batalhar pelo que achava certo. No caso, a melhor amiga. Ela estava forte, presente, decidida, e foi o fim da picada marcá-la para abrir brecha para um Stefan, que continua descaracterizado, stalkeá-la.

 

Querem que esse Salvatore seja egoísta? Façam, mas o que ele tem feito desde que saiu do drama Rayna é vergonhoso. Disse na semana passada sobre a parte intrusiva, e lá estava ele fazendo de novo. Isso não é tentar reconquistar a garota, mas sufocá-la. Stefan sufocou tanto Caroline que o queria a mil metros longe dela, verdade seja dita. Steroline destoou tão quanto as mentiras de Damon sobre ter mudado por causa de Elena. Dois Salvatore zoados não dá!

 

Sério, quis morrer quando Stefan tombou Caroline. Não pelo ato, mas porque não perdem chance de tirá-la do conflito justamente quando ela finalmente tem voz. Forbes saiu de cena sem ter o direito de pensar sobre isso porque o Salvatore lhe tirou esse direito. Imperdoável, até porque essa personagem não conta com mais nenhum fragmento pertinente de trama e desde o início da S7 só esteve amarrada ou sendo torturada. E isso não é inédito!

 

Tudo bem que há o peso da condição anterior de Candice, detalhe que afetou demais o desenvolvimento (praticamente inexistente) de Caroline nesta temporada. Porém, não é motivo para reduzi-la ao Stefan. Claramente, o tombo só serviu para evitar a fadiga, já que Forbes não tem mais nada pra fazer. Só se debater por um cara que a abandonou.

 

E, assim, temos o falso empoderamento – parte 2. Stefan silenciou a garota que ama pelo que considerou ser certo e não exatamente pelo que ela queria. Pior que isso, só Caroline arrasada sobre deixar Ric e as gêmeas, e as palavras de apoio desse Salvatore foi: você o ama? Esse papo de escolha morreu junto com Elena Gilbert, pelo amor de Deus! Foi insensível demais!

 

Fato é que Bonnie e Caroline conquistaram um destaque raro neste episódio. Quis acreditar que ambas brilhariam como há tempos não brilham, mas foi uma completa ilusão. Mesmo que ambas tenham dominado 1/3 dos acontecimentos da semana, a força sumiu por causa dos respectivos homens que controlam suas storylines.

 

O que sobra desse suco é uma Kat Graham totalmente fora da zona de conforto e que orgulho isso me deu. Pelo menos nisso TVD me fez feliz considerando a temporada até aqui. Fazia muito tempo que ela não emergia toda poderosa na história, badass, e fiquei tão maravilhada com seu novo posicionamento na trama que não quero o fim.

 

Em uma única cena, a personagem trouxe vibração, tensão, expectativa, embora fosse muito claro que Damon não capotaria. Estou satisfeita, principalmente por causa da gota de maldade vinda de uma moça que sempre carregou a cruz. Pena que vão revertê-la para o bem.

 

E fiquei tão esperançosa quando vi a possibilidade de Matt e de Bonnie serem invencíveis e matar todos. Pena que o amor pela vampirada, mesmo que regado a desprezo, permanece. Fui trouxa!

 

Concluindo

 

TVD-7x21---Armory

 

A iluminação baixa deste episódio envelheceu todo mundo. Ian então, nem se fala (dava pra ver as linhas no pescoço dele e isso me fez passar mal!).

 

Sem vilão, só restou o retorno da Armory, quebrando a ideia de suposto fim que comentei na semana passada. A conclusão do episódio bem tentou criar expectativa sobre o monstro invisível, mas só foi Damon falar que entrará lá pelo último xamã que fiquei com preguiça. Simplesmente porque Enzo e ele estarão naquela vibe de tudo justifica para salvar Bonnie enquanto colocam meio mundo em risco. Sem plano. Apenas impulso. É aí que TVD mostra suas atuais fraquezas.

 

Minha esperança é que Denzo perca a sanidade. Algum efeito colateral drástico tem que acontecer com essa turma no finale, mas nem boto fé porque TVD trabalha na nave da Xuxa – todo mundo é corrigível, tudo que morre volta, enfim. Mesma missa.

 

Pode vir season finale para eu fazer minha carta de despedida.

 

PS: Caroline mencionou que foi atrás de Klaus e já me perdi toda nessa linha do tempo zoneada.

Stefs
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3