Menu:
30/ago

Ter uma ideia, pensar em todas as ramificações possíveis, criar todos os personagens e backgrounds para eles, planejar todos os capítulos em detalhe. Por fim, começar a escrever já sabendo como a história vai terminar. Toda essa ordem parece ser bem segura, e eu já tentei escrever assim várias vezes, mas a coisa não é para mim. Não que seja uma técnica ruim, pois funciona para muitos escritores por aí – muitos que eu gosto, inclusive, incluindo o Eduardo Spohr e a marida Stefs. Mas eu vivo em constante desordem, e a escrita é a melhor maneira de expressar o meu caos. Por isso, ela precisa ornar comigo, ser desordenada também, de dentro para fora.

 

Quando a Stefs me pediu para colaborar nesse diário de escrita, eu achei que seria uma boa oportunidade de falar um pouco sobre como a organização não funciona para mim – o oposto da realidade dela, que enche a casa de post-its (que eu sei!) e sabe tudo sobre suas crias. Ela já postou textos ótimos aqui no blog sobre construção de personagem, cenário, universo, diálogo e tudo mais. E eu já li tudo, mas sempre me senti uma porta por não conseguir aplicar as técnicas dela à minha escrita. A mesma coisa aconteceu quando resolvi ir atrás da apostila de estrutura literária do Eduardo Spohr (que dá pra encontrar no blog dele, o Filosofia Nerd): tentei seguir os passos que ele recomenda e acabei chorando sobre um pedaço de papel.

 

O lance é que o que funciona para uns não funciona para outros – é clichê, mas é verdade. E eu imagino que devam existir pessoas por aí que acompanham os posts do RG e se frustram porque não conseguem escrever de uma forma organizada, assim como eu me frustrei tantas vezes pelo mesmo motivo. Por isso eu digo: assumam suas esquisitices e façam o que vocês gostam, do jeito que vocês fazem melhor. Esse é o meu segredo, nos dias bons.

 

 

Se existe algum padrão para a minha escrita é que a grande maioria dela vem de sonhos. O maior exemplo disso é o meu conto Tampa de Vidro, que é 90% a transcrição de um pesadelo que eu tive no começo de um feriado prolongado. Acordei e nem pensei duas vezes: comecei a digitar e só parei no final do feriado, com o conto pronto. A maioria das pessoas que costuma ter muitas ideias à noite diz que gosta de manter um caderninho ao lado da cama, para anotar o que quer que seja antes que a coisa fuja da mente. Isso me ajuda um pouco, mas não muito, porque eu nunca consigo manter um padrão de anotações.

 

Da última vez que olhei no meu caderninho li coisas como “formigas gigantes, escadaria rosa e zumbis – colocar um monte na boca para matar”. Preciso de um nível de abstração enorme para tirar proveito dos meus rabiscos semiconscientes. Então, eles não costumam ser de grande utilidade.

 

O que me inspira geralmente são músicas. Não é raro eu ir para o mundo da lua com uma trilha sonora ao fundo. Quando isso acontece, eu quase sempre estou vendo uma cena qualquer se desenrolar na minha frente, o que me leva aos diálogos. Diálogos fazem o meu mundo girar, todas as minhas histórias que nascem de diálogos são as que vão para frente. Na minha pastinha de rabiscos úteis, o que mais tem são diálogos soltos, esperando que eu dê um contexto para eles.

 

Gosto bastante de ler sobre personagens com poderes, mas não gosto de escrever sobre elas, por isso todas as minhas crias são pessoas muito humanas, com problemas muito humanos, que fazem besteiras muito humanas. E elas sofrem demais, mas crescem demais também. Aliás, a melhor parte de escrever é criar laços com as minhas pessoinhas, ver elas evoluindo junto com a história. E cada coisa que acontece é novidade, tanto para elas, como para mim, porque nada está planejado.

 

A minha escrita nasce tão desordenada quanto minhas ideias, e só depois de muito trabalho ela vai tomando forma. Pegar a caneta e o papel, ou encarar o cursor piscando na tela branca (também não tenho nenhuma ordem com relação a isso), sempre exige de mim uma dose extra de coragem.

 

Mas sempre é uma aventura incrível, que me deixa querendo mais.

Mônica
Postado por:       

       
Aproveite para ler também
Escreva seu comentário antes de ir <3